F-Truck 2009

Piloto tetracampeão confirma que continua na equipe ABF
  1. Home
  2. Lançamentos
  3. F-Truck 2009
Agência Infomoto
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

- Wellington Cirino se tornou o primeiro tetracampeão da Fórmula Truck em 2008. O piloto paranaense, que já era o único tricampeão, se sagrou campeão na finalíssima da competição, em Brasília, no dia 07 de dezembro, contra Geraldo Piquet. Ainda comemorando o título, Cirino já faz os planos para a temporada 2009.

“Comecei de forma regular, mas o novo caminhão nasceu o piloto estreou um novo veículo na quarta etapa com uma performance constante. Dei a volta por cima e com as vitórias em São Paulo, Londrina e Campo Grande, entrei na briga. Depois, venci pela primeira vez em Brasília. Agora, que venha a temporada 2009 e as mudanças no regulamento que sei que vão acontecer”, afirma Cirino.

O piloto é um dos maiores nomes da história da F-Truck. Não possui o maior número de vitórias 17 contra 27 de Renato Martins, mas nas poles não tem para ninguém. Cirino bate Martins por 22 a 18. Ele foi campeão nas temporadas 2001, 2003 e 2005 e vice-campeão em 2002 e 2004.

Mas o troféu de 2008 foi o mais especial. “Eu não poderia ficar sem o título no ano de despedida do Aurélio Aurélio Batista Félix, criador da F-Truck, morto em março de 2008. Ele me convidou para pilotar caminhões quando eu corria de turismo e tinha 20 anos”, relembra.

O piloto venceu a disputa pelo título que travava com seu companheiro de equipe, a ABF/Mercedes-Benz, Geraldo Piquet. Apenas os dois poderiam ser campeões na última prova. “Foi um ano de ouro para premiar o trabalho de todos os integrantes da equipe”, completa. Cirino fechou o ano com 171 pontos e Piquet fez 165.

Para a Mercedes-Benz o ano não poderia ter sido melhor. Além da dobradinha nos pilotos, a montadora foi a campeã do Campeonato de Marcas. Venceu a grande rival, Volkswagen, por 395 a 318.

Relembre a corrida

Geraldo Piquet chegou à final da etapa de Brasília com três grandes vantagens para ser campeão. Tinha uma “gordura” de 13 pontos à frente de Cirino 154 contra 141. Corria em sua casa, onde fora vencedor nas últimas duas provas, e, teria mais combinações positivas de lugares na bandeirada final.

Cirino largou na pole. Na coletiva antes da prova, Piquet disse que na largada partiria para cima dos adversários já que começou em quarto. E que logo depois iria à caça do primeiro. Uma estratégia ousada, já que se permanecesse em segundo na bandeirada amarela e na quadriculada, levaria o caneco.

Piquet fez excelente largada e acabou pulando para segundo. Parecia que as coisas para o lado de Cirino iriam se complicar. Mas, na segunda volta o campeão começou a abrir vantagem. Uma volta depois, Beto Monteiro Scania, o primeiro vencedor do ano foi o primeiro a abandonar a prova em um adeus melancólico.

Na quinta volta, começou o calvário de Piquet. Valmir Benavides roubou a segunda colocação. Mesmo assim, Geraldo ainda seria campeão. O caminhão parecia não oferecer um rendimento que o levasse ao título. Na bandeira amarela, Cirino passou em primeiro, Benavides em segundo e Piquet em terceiro. A vantagem para Cirino ainda era confortável, 159 a 151 pontos.

Cirino disparou na relargada. Na 18ª volta, Geraldo não agüentou a pressão e foi ultrapassado por Felipe Giaffone, campeão da temporada 2007. Nesse momento, a situação complicou de vez para o piloto. A única chance dele era uma quebra de Cirino ou que ele fosse ultrapassado por Benavides.

Quatro rodadas depois, Renato Martins jogou Piquet para quinto. Só um milagre salvaria o caneco. Faltando cinco voltas, Geraldo caiu para sexto. Fim do sonho.

“Tive problemas na suspensão e freios pouco depois da metade da prova. Porém, corrida é assim mesmo. Apesar da boa largada, o caminhão não estava bom”, disse Piquet, que teve a torcida no autódromo do pai, Nelson, e do irmão, Nelsinho.

Bastidores

Nos bastidores da última etapa do ano, o que mais se comentava eram as possíveis trocas de pilotos e equipes para a temporada 2009. Um dos alvos era a indefinição sobre Cirino. Mas, depois da prova ele afirmou com todas as letras que continua no time ABF/Mercedes-Benz.

Outro piloto bastante comentado era Beto Monteiro. A aposta é de que o possível destino de Monteiro, atualmente na Scania, seria a Iveco.

Fernando Ribeiro, gerente de Marketing da marca italiana e responsável pela Scuderia Iveco não desmentiu nem confirmou o interesse em Monteiro. Aliás, o gerente tratou com muito cuidado esse assunto. “Estamos satisfeitos com os resultados de 2008, obtivemos um pódio com cinco corridas. Foi um grande feito. Queremos melhorar ainda mais e brigar pelo título de 2009”, disse.

Para ser campeã, a Scuderia Iveco pensa em investir num piloto mais experiente. A tendência é que a marca mantenha Adalberto Jardim, o primeiro piloto de 2008, para a próxima temporada. Adílson Cajuru não tem permanência garantida, apesar de Ribeiro desmentir. Mesmo que a Scuderia não faça mudanças para 2009, em 2010 é certo que a direção mude um ou os dois pilotos.

Enquanto isso, Beto Monteiro e Roberval Andrade, terceiro colocado na classificação geral, lamentam a saída da Scania como patrocinadora da equipe de ambos. A montadora deve continuar contribuindo apenas com peças. É uma pena de fato e mais uma marca não investe na Truck. A Volvo não participa oficialmente porque competições desse tipo não fazem parte da sua filosofia.

Roberval ficou revoltado depois da final. “Quero fazer um protesto. Fiquei em terceiro lugar e a direção não me deixou comemorar no pódio. Só fizeram festa para os dois primeiros da geral e pela campeã das marcas”. Os pilotos do pódio concordaram com ele dizendo que está no regulamento o direito à comemoração.

Um dos pilotos de grande destaque em 2008 foi Valmir Benavides, da RM Competições, da Volkswagen. A quinta colocação na classificação geral mostrou o quanto o piloto é competitivo. Durante a temporada, quase venceu algumas provas. “Foi um ano de regularidade. Só não subi ao pódio nas duas vezes em que bati. Estou satisfeito”.

Geraldo não conseguiu esconder a decepção por ter perdido o título. Sua vantagem para Cirino era grande. Correndo em casa e diante do pai e do irmão, seria uma forma de provar que outro Piquet pode ser vencedor e conhecido. Bateu na trave. Mas, o piloto deixou uma mensagem bem clara a este repórter: vai brigar para ser campeão em 2009 e, mais experiente, não será fácil conter seu ímpeto.


Último pódio de 2008, após 46 voltas: 1 Wellington Cirino, PR Mercedes-Benz; 2 Valmir Benavides, SP Volkswagen; 3 Renato Martins, PR Volkswagen; 4 Roberval Andrade, SP Scania; 5 Fabiano Brito, PR Volvo.

Classificação final do Campeonato Brasileiro de F-Truck 2008: 1 Wellington Cirino, PR Mercedes-Benz 171 pontos; 2 Geraldo Piquet, DF Mercedes-Benz, 165; 3 Roberval Andrade, SP Scania, 132; 4 Felipe Giaffone, SP Volkswagen, 120; 5 Valmir Benavides, SP Volkswagen, 120; 6 Beto Monteiro, PE Scania, 53; 7 Renato Martins, PR Volkswagen, 53; 8 Vignaldo Fizio, SP Mercedes-Benz, 39; 9 Luiz Zappelini, SP Volvo, 38; 10 Fabiano Brito, PR Volvo, com 30 pontos.

Campeonato de marcas: 1 Mercedes-Benz, 395 pontos; 2 Volkswagen, 318; 3 Scania, 196; 4 Volvo, 73; 5 Ford, 29 e 6 Iveco, 22 pontos.


Leia também:

Geraldo Piquet vence em Tarumã e fica próximo do título

Depois de largar em último, Zappelini vence F-Truck de Curitiba

F-Truck: Mercedes-Benz prepara novidades em Interlagos

Beto Monteiro, pilotando um Scania, leva o primeiro troféu do ano

Morre o criador da Fórmula Truck

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors