Fiat Strada CD quebra o galho de quem tem de levar mais de um

Espaço para dois passageiros atrás é pequeno, mas atende a quem precisa de mais assentos
  1. Home
  2. Lançamentos
  3. Fiat Strada CD quebra o galho de quem tem de levar mais de um
Gustavo Ruffo
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

Foz do Iguaçu, PR - Um belo quebra-galho para quem vez por outra tem de levar mais do que a namorada ou namorado no carro. É assim que se pode definir a nova Fiat Strada Cabine Dupla, que foi apresentada à imprensa especializada brasileira em um cenário majestoso, a represa de Itaipu, em Foz do Iguaçu, no Paraná.

Vendida a R$ 46,44 mil, apenas R$ 1.900 a mais do que a picape com cabine estendida, a nova versão da Strada não é, como alguns gostariam, um sedã ou uma perua com preço mais em conta. Até porque, no caso do Siena com motor 1,8-litro, o HLX, o sedã sai mais barato: R$ 42,99 mil. No caso da Palio Weekend, que custa R$ 53,04 mil, a diferença de preço em relação à picape é expressiva, mas o conforto que a perua oferece a mais compensa. Ela também vem, de série, com o sistema Locker, que na Strada CD sai por R$ 1.300 a mais, o que daria R$ 47,74 mil.

A Fiat até oferece a picape como um viés de sedã, como se a caçamba de 580 l fosse um enorme porta-malas. Exemplo disso é o fato de a empresa não informar as medidas internas da caçamba em seu material de imprensa, algo comum em relação a sedãs, hatches e peruas, mas não em picapes.

O certo é que nem de longe a caçamba se parece com um porta-malas. Mesmo que a tampa da caçamba tenha chave. A capota marítima é um opcional custa R$ 1.133 e sempre pode ser desatada. Além disso, o estepe colocado em pé, encostado na cabine, lembra que estamos falando de uma picape. Ele é de acesso difícil e atrapalha a visão traseira, que já não é das melhores por conta do brake-light e da barra de proteção ao vidro.

A Fiat provavelmente não divulga as medidas internas da caçamba para evitar críticas. Afinal, uma caçamba tão curta pode perder a razão de ser, ainda que comporte 580 l de carga e que o carro suporte 650 kg de carga útil. Se serve como base de comparação, a caçamba da versão com cabine estendida comporta 830 l, o que dá a medida do tamanho da diminuição da caçamba. Vale lembrar que a CD e a CE têm o mesmo comprimento e o mesmo entreeixos, respectivamente 4,46 m e 2,75 m.

Descontado o fato de ela ser mesmo uma picape, com eixo rígido na traseira e tudo o mais, por dentro o espaço para passageiros é bastante reduzido. Segundo a Fiat, duas pessoas de 1,75 m ficam bem acomodadas se uma viajar atrás da outra dentro da picape.

Pode até ser, mas uma de 1,85 m fica com a cabeça batendo no teto, na parte traseira. E rezando para ninguém com a mesma altura ser o motorista ou o passageiro do banco da frente. Se ela der este azar, vai viajar de pernas abertas para poder caber no carro. Não surpreende que a Fiat tenha feito a picape para apenas quatro pessoas: não haveria espaço para mais ninguém, ainda que se saiba que sempre vai haver alguém disposto a carregar quatro só na parte traseira. Tinha gente que andava com passageiros atrás na Strada Cabine Estendida...

Em termos de aparência, a nova Strada deve encantar os compradores. Ela mantém o estilo parrudo das outras versões, mas o fato de ter cabine maior a torna mais imponente. Feio é o aplique de plástico entre o vidro traseiro e a carroceria, possivelmente uma solução menos pior do que deixar à mostra algum possível ponto de solda.

Completa, ela sai por R$ 57.051. Esse preço inclui, além dos itens de série direção hidráulica, ar-condicionado, vidros e travas elétricos, computador de bordo, volante com regulagem de altura, My Car Fiat, rodas em liga-leve de aro 15”, bússola e inclinômetros longitudinal e transversal, espelhos retrovisores externos com repetidor de direção e faróis de profundidade e de neblina, sensores de chuva, de luz, retrovisor interno eletrocrômico, rádio Connect, com Bluetooth, entrada USB e MP3, ABS, dois airbags dianteiros, retrovisores externos elétricos e teto solar, sistema Locker, bancos parcialmente revestidos em couro e capota marítima, que deveria ser item de série.

Ao volante

A não ser para os passageiros do banco traseiro inteiriço, com cintos de três pontos para os dois ocupantes, tudo o mais na nova versão da Strada é velho. Quem já tiver lido nossa avaliação da Strada Adventure Locker, portanto, poderá achar que está lendo o mesmo texto mais uma vez. Vale o aviso.

O motor, nesta versão, continua a ser o 1,8-litro fornecido pela GM à Fiat. Com bom torque, ele se dá melhor no utilitário do que os tradicionais motores italianos, que gostam de giro alto, mas pecam por torque em baixa. De todo modo, é um carro com crise de identidade. Carro italiano que se preze tem motor que gira alto.

Isso deve acontecer na versão Working, que a Fiat nega que irá fazer, mas que o jornalista Marlos Ney Vidal já flagrou em seu blog, o Autos Segredos e que confirmou com suas fontes. O fato de a Fiat negar, infelizmente, não quer dizer muita coisa. Como Vidal bem lembra, a marca adora esconder o ouro e já negou que faria a Strada CD. No entanto, olha ela aqui...

A posição de dirigir poderia ser bem melhor. Sem regulagem de altura do banco do motorista, essa versão penaliza motoristas mais altos, que ficam com a cabeça bem perto do teto e, no trânsito das grandes cidades, com uma visão ruim de semáforos.

No test-drive, feito todo dentro da represa de Itaipu, houve um trecho em que pudemos avaliar a eficiência do sistema Locker. Como já dizemos, não é uma marcha reduzida nem tração nas quatro rodas, mas pode realmente tirar o motorista de um atoleiro.

Em termos de dirigibilidade, não espere demais de um veículo com eixo rígido na traseira. Com mais peso sobre o eixo traseiro, a Strada CD acaba tendo uma distribuição de peso melhor, o que ajuda em um comportamento dinâmico melhorzinho, mas nunca comparável ao de um carro de passeio.

Em suma, a Strada CD consegue colocar de novo a picape à frente da concorrência, uma vantagem necessária considerando que a VW Arena, substituta da Saveiro, deve chegar ao mercado em breve. E a Strada começará a enfrentar concorrência de verdade, reforçada pela versão picape do Renault Sandero e do Peugeot 207 nacional. Chega de vida fácil para essa veterana.

FICHA TÉCNICA – Fiat Strada Adventure Locker

MOTORQuatro tempos, quatro cilindros em linha, transversal, refrigeração a água, 1.796 cm³
POTÊNCIA112 cv gasolina e 114 cv álcool a 5.500 rpm
TORQUE175 Nm gasolina e 181 Nm álcool a 2.800 rpm
CÂMBIOManual de cinco velocidades
TRAÇÃODianteira
DIREÇÃOPor pinhão e cremalheira; hidráulica
RODASAro 15” de liga-leve
PNEUS205/70 R15
COMPRIMENTO4,46 m
ALTURA1,63 m
LARGURA1,74 m
ENTREEIXO2,75 m
CAÇAMBA580 l
PESO em ordem de marcha1.195 kg
TANQUE58 l
SUSPENSÃODianteira independente tipo McPherson; traseira por eixo rígido, com lâminas longitudinais parabólicas
FREIOSDiscos ventilados na dianteira e tambores na traseira
CORES Azul Búzios, Branco Banchisa, Preto Vulcano, Vermelho Alpine, Azul Vitality, Bege Savannah, Cinza Cromo, Cinza Scandium, Cinza Tellurium, Prata Bari, Preto Vesúvio, Verde Lagoon, Verde Savage e Vermelho Magna
PREÇOR$ 46,44 mil


Gustavo Henrique Ruffo viajou a Foz do Iguaçu a convite da Fiat.


Siga a gente no Twitter! Novidades, segredos e muito mais: www.twitter.com/WebMotors

Gosta de picapes pequenas?

Então veja aqui no WebMotors as melhores ofertas para esse segmento:

Chevrolet Montana

Fiat Strada Ford Courier

Chevrolet Pick-up Corsa

Volkswagen Saveiro

Leia também:

Fiat Strada Cabine Dupla chega ao mercado por R$ 46,44 mil

Grand Livina, de sete lugares, começa em R$ 54,89 mil

Nome do projeto Viva será Chevrolet Agile

SEGREDO - Honda City é flagrado em dupla em Campinas

Hyundai i30, à venda há duas semanas, é lançado

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors