Jaguar I-Pace: diga adeus ao posto do gasolina

Aceleramos o primeiro carro 100% elétrico da Jaguar, que chega ao Brasil ainda este ano

  1. Home
  2. Lançamentos
  3. Jaguar I-Pace: diga adeus ao posto do gasolina
Karina Simões
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

Existem duas quebras de paradigmas na foto acima. Trata-se do primeiro veículo 100% elétrico de uma marca que produz carros com motores à combustão há 80 anos, a Jaguar, e ele está atravessando um riacho. Não sei você, mas eu nunca tinha visto esta exótica combinação. Muito prazer, este é o novo Jaguar I-Pace.

icon photo
Legenda: Jaguar I-Pace chegará ao Brasil ainda este ano
Crédito: Divulgação

O SUV – irmão dos desejados F-Pace e E-Pace – chega ao Brasil até o fim de 2018, provavelmente nas duas configurações disponíveis, a limitada First Edition e a S. Por isso, a Webmotors foi até Portugal conferir como anda o mais novo felino da família.

Há muita curiosidade acerca deste SUV, mas não vou fazer rodeios, a primeira informação que você precisa saber é: são 70 kgf.m de torque sendo despejados nas quatro rodas assim que seu pé direito encosta no acelerador. Se você pensou em não ler este texto porque não curte carros elétricos, sente aí...

 São 480 quilômetros de autonomia máxima e 432 células de íons de lítio
Legenda: São 480 quilômetros de autonomia máxima e 432 células de íons de lítio
Crédito: Divulgação

O I-Pace é produzido na fábrica da Jaguar Land Rover em Graz, na Áustria, em uma parceria com a montadora Magna Steyr. Em ambas configurações, ele vem equipado com baterias de 90 KWh, que rendem autonomia de 480 quilômetros com uma única carga. São 432 células de íons de lítio que ficam dispostas no assoalho do veículo, entre os eixos – cuja medida é de surpreendentes 2,99 metros.

Pressiono o botão de partida – que o rival Tesla Model X dispensa – o painel digital se acende e não acontece mais nada. Nenhum ruído. Que mudança bem-vinda para a linhagem de felinos!

icon photo
Legenda: Cabine é futurista, mas sem exageros. Não há manopla de câmbio 
Crédito: Divulgação

O SUV é equipado com dois motores idênticos, um para cada eixo, que geram 400 cv de potência e os já mencionados 70,9 kgf.m de torque. Cada motor alimenta um eixo e a tração é integral. Eles trabalham com um sistema de transmissão de velocidade única, sequer existe uma alavanca de câmbio. No console do carro o motorista seleciona os modos P, R, N e D por meio de botões. Simples assim.

icon photo
Legenda: Manopla de câmbio foi substituída por botões no console central
Crédito: Divulgação

Os números do I-Pace já seriam impressionantes em qualquer veículo, mas essa entrega imediata que o elétrico proporciona é de deixar qualquer carro à combustão com muita, mas muita inveja. Em qualquer rotação, basta pisar com mais vontade no acelerador para sentir um empurrão nas costas, sem nenhum atraso. Apesar do peso de 2.208 kg, o 0 a 100 km/h é feito em nada menos que 4.8 segundos e a velocidade máxima é limitada em 200 km/h.

icon photo
Legenda: São 2.208 quilos de peso e aceleração 0 a 100km/h em 4,8 segundos
Crédito: Divulgação

São três modos de condução, o Comfort, Eco e Dynamic. Selecionamos o último dos três para dar algumas voltas no Autódromo do Algarve, em Portimão. Aqui vale desviarmos a atenção do I-Pace por um momento para uma dica. Se você gosta de acelerar em pistas, faça um favor a si mesmo, compre uma passagem para Portugal e vá conhecer os 4,7 quilômetros do circuito português. Uma montanha-russa técnica, com curvas surpreendentes que me deixaram absolutamente estarrecida.

 Jaguar I-Pace no Autódromo de Portimão, no Algarve.
Legenda: Jaguar I-Pace no Autódromo de Portimão, no Algarve.
Crédito: Divulgação

Ali, pudemos experimentar toda a dinâmica do I-Pace. Eu esperava muito, já que os irmãos F-Pace e E-Pace são muito acertados neste quesito. Novamente fui surpreendida. A Jaguar colocou as baterias na posição mais baixa possível entre os eixos para chegar à distribuição de peso 50:50 e para que o centro de gravidade ficasse 130 mm mais baixo que o F-Pace, o que ajuda a reduzir mais ainda a rolagem da carroceria.

icon photo
Legenda: SUV tem distribuição de peso perfeita entre dianteira e traseira
Crédito: Divulgação

A versão que estávamos acelerando estava equipada com a suspensão pneumática opcional. Esta suspensão pode ser rebaixada 10 mm em velocidades acima de 105 km/h e pode ser elevada em até 50 mm para trechos off-road. E desde quando carro elétrico combina com off-road? Desde que a Jaguar Land Rover resolveu entrar no ramo.

Não estamos falando de trilha pesada, mas o carro demonstrou capacidades de encarar terrenos de terra, subidas íngremes com pedras e até transpor riachos. Isso, graças à tecnologias como o botão Adaptative Surface Response, que adapta o veículo ao tipo de terreno e entrega a força exata para que ele consiga passar por obstáculos sem que o motorista precise sequer pisar no acelerador.

 SUV foi capaz de encarar terrenos de terra, subidas íngremes e até transpor riachos
Legenda: SUV foi capaz de encarar terrenos de terra, subidas íngremes e até transpor riachos
Crédito: Divulgação

E o som? Não dá pra negar que aquele assobio dos motores elétricos não empolga nem 10% do que o som produzido pelo “V-oitão” do F-Type. Para compensar, o I-Pace tem um recurso chamado Active Sound Design. Na mais alta de suas três configurações, ao pisar no acelerador aparece um som baixinho que lembra um motor a gasolina. É sutil, mas quem não entende nada de carros nem vai notar que é falso.

 Central multimídia do I-Pace foi emprestada do irmão Range Rover Velar
Legenda: Central multimídia do I-Pace foi emprestada do irmão Range Rover Velar
Crédito: Divulgação

O carregador de 100kW permite carregar até 80% da bateria do SUV em até 40 minutos, situação ideal para uma viagem longa. Já quando carregado em uma tomada normal de 7kW – dessas que temos em casa –são necessárias 10 horas para carregar os mesmos 80%. Ou seja, perfeito para deixar carregando durante a noite.

Os freios regenerativos também têm seu papel em ajudar a recarregar as baterias. Por conta disso, nos carros elétricos, o freio motor é muito atuante. Ou seja, basta tirar o pé do acelerador que o veículo para. Se você não gosta disso, é possível ajustar na central multimídia Touch Pro Duo os níveis de frenagem que você prefere. Ao selecionar o modo ‘high’ você pode esquecer o pedal do freio. Neste caso, uma força de frenagem regenerativa máxima de 0.4G pode ser alcançada.

Outro ajuste interessante que o motorista pode fazer é o que eles chamam de ‘creep’. Quando tiramos o pé do freio em um carro equipado com câmbio automático convencional, ele rola um pouco para a frente. Em um veículo elétrico isso não acontece, mas a Jaguar disponibiliza essa função para o motorista ao toque de um botão.

 Medidas são similares as de um SUV médio, como Audi Q5 e BMW X3
Legenda: Medidas são similares as de um SUV médio, como Audi Q5 e BMW X3
Crédito: Divulgação

Não é o carro dos Jetsons

Ele não parece um carro dos Jetsons, nem nada absolutamente futurista. E isso não quer dizer que faltou personalidade, pelo contrário, o design até surpreende. O I-Pace tem medidas similares aos SUVs premium Audi Q5 e BMW X3, mas é mais largo e baixo. Os eixos ficam bem afastados – quase 3 metros de distância – e quando equipado com rodas aro 22 é impossível que ele passe despercebido.

Os paralamas são uma assinatura inconfundível da Jaguar, mas a traseira não se parece com nenhum dos modelos do line-up. Ela culmina em uma linha reta, é “drámática”, como dizem os designers. Confesso que achei mais bonita na foto do que ao vivo. O povo dos antigos vilarejos portugueses paravam para olhar os veículos “do futuro” passando sem emitir um som no escapamento. Eu disse, escapamento? Não, obviamente não há.

icon photo
Legenda: Traseira deixa nítida a personalidade deste Jaguar
Crédito: Divulgação

Já na dianteira, a grade assume um importante papel aerodinâmico no modelo ao canalizar o fluxo de ar para as linhas do capô e para a parte inferior do para-brisas. Todo esse ar também ajuda a resfriar as baterias, que atingem de 20° a 30° de temperatura. Já os motores, podem chegar a 160°.

icon photo
Legenda: Abertura na dianteira ajuda na aerodinâmica do SUV
Crédito: Divulgação

Assim como no Range Rover Velar, as maçanetas tem um papel importante na redução do arrasto já que elas ficam dentro da carroceria e só aparecem no momento em que os ocupantes entram ou saem do SUV. Muito giro, como dizem os portugueses (giro quer dizer bonito em Portugal).

Falando em beleza, o interior é, sem dúvida, o mais moderno de toda a linha da Jaguar graças às duas telas sensíveis ao toque, também herança do Velar. Existem apenas dois botões giratórios onde controlamos a intensidade da ventilação e a climatização dos bancos.

 Interior é luxuoso, como é de se esperar em um Jaguar, sem que isso atrapalhe a ergonomia
Legenda: Interior é luxuoso, como é de se esperar em um Jaguar, sem que isso atrapalhe a ergonomia
Crédito: Divulgação

O sistema de entretenimento Touch Pro Duo é intuitivo e, além das funções comuns, o motorista pode acompanhar a autonomia das baterias, estilo de condução e a intensidade de frenagem e aceleração. O GPS também tem uma função importantíssima ao calcular não apenas a rota desejada, mas quanto de bateria você terá disponível ao chegar no destino levando em conta informações do trânsito e de altitude. Ter um carro elétrico exige planejamento para que você não fique sem carga e o I-Pace te oferece todas as informações necessárias para que isso não aconteça.

A carga das baterias pode ser checada pelo app do I-Pace, assim como acionar a climatização do veículo ou destravar as portas. Para os clientes mais conectados, a Jaguar oferece compatibilidade com o sistema Amazon Alexa, no qual você conecta o carro à casa e consegue, por exemplo, abrir o portão de sua residência por um toque na central multimídia.

icon photo
Legenda: Painel digital é completo e interior é minimalista
Crédito: Divulgação

O I-Pace também é o primeiro Jaguar capaz de receber atualizações de software automaticamente, sem que o dono do carro precise ir até a concessionária.

Vai viajar? A bagagem pode ser acomodada nos 656 litros de capacidade do porta-malas, que pode ser ampliada para até 1.453 litros com os bancos rebaixados. Sob o capô também há um espaço pequeno para armazenar bagagem e são muitos os porta-objetos na cabine.

icon photo
Legenda: A bagagem pode ser acomodada nos 656 litros de capacidade do porta-malas
Crédito: Divulgação

Preço

O preço ainda não foi divulgado. Acreditamos que deve ficar na casa das versões mais caras do F-Pace, que são encontrados à venda na Webmotors na faixa dos R$ 410 mil. O SUV elétrico mais famoso no mundo hoje é o Tesla Model X, que já testamos nos Estados Unidos. Porém, a Tesla não tem operação no Brasil e o veículo vem importado por aproximadamente R$ 1 milhão. Ouch! Neste caso, o I-Pace parece muito mais acessível, mas apesar dos incentivos, não é barato ter um veículo elétrico em lugar nenhum do mundo.

icon photo
Legenda: Valor ainda não foi divulgado, mas deve passar dos R$ 500 mil
Crédito: Divulgação

Conclusão

O novo I-Pace é o grande produto da Jaguar. Ele me surpreendeu em todos os sentidos, pela sua tecnologia, entrega brutal de potência e versatilidade em transitar bem em qualquer terreno. Gostei também de não me sentir um extraterrestre pilotando uma nave espacial, afinal, ele é moderno mas ainda se parece com um carro, ao contrário de concorrentes muito "diferentões". Sem dúvida, dos três SUVs da família, ele seria o eleito para morar na minha garagem, sobretudo depois da crise de abastecimento de combustíveis que passamos no Brasil recentemente. A Jaguar não acertou apenas no carro, mas no timing para trazê-lo às terras tupiniquins. Certamente, ele será muito bem recebido por aqui.

 Este felino não tem medo de água, apesar de ser 100% elétrico
Legenda: Este felino não tem medo de água, apesar de ser 100% elétrico
Crédito: Divulgação
Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors