Novos desafios para os 4x4

  1. Home
  2. Lançamentos
  3. Novos desafios para os 4x4
Fernando Calmon
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

- Uma forte guinada está ocorrendo no mercado americano de utilitários esporte Sport Utility Vehicle – SUV, em inglês, o mais importante do mundo. O terreno tornou-se cada vez mais áspero e cheio de obstáculos para aqueles SUVs pesadões, com chassi derivado de pickups. Além disso, as pessoas mais velhas querem ir um pouco além em conforto e o pessoal jovem aprecia os modelos ágeis, com arquitetura derivada de automóveis. Por outro lado, a preocupação com o preço da gasolina tem aumentado bastante. Daí o rápido crescimento da categoria CUV Crossover Utility Vehicle, um utilitário de menor massa com características de station wagon perua, mais baixo e econômico, que este ano vai ultrapassar em vendas os SUVs tradicionais. Os dois segmentos dessa categoria, juntos, representam quase 5 milhões de unidade anuais ou cerca de 30% do mercado total.O Compass é um bom exemplo, agora em versão definitiva. Pela primeira vez, um Jeep oferece a escolha entre tração dianteira ou 4x4. O consumo de combustível equivale ao de um automóvel. Os puristas do fora-de-estrada certamente não apreciarão essa certa traição aos cânones da marca. Mas a DC tratou de manter uma razoável distância ao solo de 20 cm e bloqueio do diferencial central na versão 4x4. A suspensão é independente na frente e atrás. Motor 4-cilindros, de 2,4 litros/172 cv explica a boa relação desempenho/consumo. Até o fim do ano chegará ao Brasil, ainda sem preço definido.

Outro CUV elogiado foi o Edge, nas lojas só no último trimestre do ano nos EUA e com possibilidade de também ser vendido aqui em 2007. A Ford estréia no segmento e aposta no modelo por sua funcionalidade e dirigibilidade típicas de automóvel. O motor de 3,5 litros/250 cv acoplado a um câmbio automático de 6 marchas apresenta consumo razoável. Claro, existe opção de tração 4x4 sob demanda, do mesmo tipo usado no EcoSport, sempre com suspensão independente nas quatro rodas estas, com 17 ou 18 pol de diâmetro. Há um grande teto solar e o interior atraente e prático pode incluir rebatimento elétrico do banco traseiro.

Inteiramente novo, o Hyundai Santa Fe entrará nesse clube no meio do ano, lá; aqui, chega no início de 2007. Vai se destacar, certamente, pelo preço competitivo com a vantagem de escolha entre cinco ou sete lugares. O motor terá mais do que os 180 cv atuais. Ganhou 18 cm no comprimento total para obter um interior mais espaçoso; ainda assim o diâmetro de giro diminuiu em mais de um metro, o que facilita as manobras. Equipamentos de segurança de série: seis airbags, controles de tração e trajetória e apoios dianteiros de cabeça ativos entre outros.

Vão livre maior, rodas e pneus mais largos e dimensões ampliadas para melhorar o espaço interno estão no novo Wrangler. Agora, há mordomias antes inexistentes: travas e levantadores de vidros elétricos. Possui nova capota removível com diferentes arranjos, pára-brisa curvo e versões Rubicon, X e Sahara. O chassi mostra o dobro da rigidez, três placas protetoras e barra estabilizadora dianteira desconectável – o que aumenta em 28% o curso da suspensão. Motor V6 de 205 cv melhora o desempenho. O pacote de segurança inclui controle de estabilidade com monitoramento anticapotagem. No Brasil, só em 2007.

O Mercedes-Benz GL é o primeiro SUV da marca com espaço para sete passageiros em três fileiras de bancos. Fabricado nos EUA, compartilha muitos componentes com o Classe ML 5 lugares e o Classe R seis ocupantes. Essa resposta ao Audi Q7 tem mais de 5 m de comprimento, carroceria monobloco, motor V8/335 cv e câmbio automático de 7 marchas. Possui recursos de ajuda em uso severo, como ajuste automático de velocidade de descida, assistência em ladeiras e freios ABS adaptados ao fora-de-estrada.

Apresentado antes como veículo conceitual, a Toyota começa a vender nos EUA o FJ Cruiser no final de março, já como ano-modelo 2007. É outro inspirado nas linhas de veículos do passado, no caso o clássico Land Cruiser dos anos 1950, conhecido aqui como Bandeirante. Utiliza a arquitetura do Prado importado para o Brasil e oferece versões 4x2 e 4x4. O motor é um V6 a gasolina de 245 cv. O carro não tem coluna central e as portas traseiras abrem no sentido oposto a tradicional. Pormenores que lembram o original: teto pintado de branco, faróis redondos, pára-brisa vertical e janelas laterais envolventes.

Ainda há espaço para um novo SUV grandalhão, apresentado no recente Salão de Detroit. A Chrysler, até agora fora desse mercado, lançou o Aspen para oito passageiros, com chassi de pickup. Promete preço menor do que os concorrentes e a escolha entre dois motores V8, o mais forte um Hemi de 335 cv. A fim de controlar o alto consumo de combustível, há um dispositivo para cortar o funcionamento de quatro cilindros quando a exigência por potência for menor.

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors