Moto Morini Scrambler retoma estilo da década de 1960

Para comemorar o Dia do Motociclista, nada melhor do que uma bela máquina italiana de 117 cv
  1. Home
  2. Motos
  3. Moto Morini Scrambler retoma estilo da década de 1960
Agência Infomoto
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

- O estilo scrambler nasceu na Europa na década de 1960. Eram as antepassadas das motos trails. Caracterizavam-se por serem robustas, potentes, além de ágeis e de fácil condução. A marca registrada é o escape lateral, teoricamente para superar riachos e trechos alagados. Agora a italiana Moto Morini faz uma releitura deste radical conceito e apresenta a Scrambler, modelo que pode ser usado no dia-a-dia como também em aventuras por estradas de terra. Com características mecânicas de uma moto esportiva - bicilíndrico de “V” de 117 cv -, esta Morini conta com o que há de mais moderno em termos de equipamentos fabricados na Itália: freios Brembo, suspensão Marzocchi e quadro Verlicchi. Ou seja, exclusividade em uma moto puro sangue italiana.

O design retrô tem como base mecânica a 9 ½ nove e meio, naked da Moto Morini. Desenhada pelo engenheiro Franco Lambertini, o motor da Scrambler é um “V2” com 87° de inclinação entre os cilindros, batizado de Bialbero CorsaCorta. Com 1.187 cm³ de capacidade cúbica, o propulsor tem potência máxima de 117 cv a 8.500 rpm e torque máximo de 10,4 kgm a 6700 rpm. Segundo o fabricante, este motor esbanja potência e tem muita força em baixas e médias rotações. Para maior economia e atender ao nível de emissão de gases na Europa, a moto está equipada com injeção eletrônica de combustível da Magneti Marelli.

Ciclística e design

Na dianteira, a Scrambler italiana conta com suspensão invertida upside down Marzocchi, com bengalas pintadas em preto de 50 mm de diâmetro e 150 mm de curso. O sistema de freios, da grife Brembo, é formado por dois discos de 298 mm de diâmetro e “mordidos” por pinças de dois pistões, na roda dianteira. Na traseira, disco simples de 250 mm de diâmetro, com pinças de pistão duplo. Já o monoamortecedor foi fixado lateralmente na balança de alumínio, multiajustável.

Dependendo da tipo de utilização, a Moto Morini oferece duas opções de pneus para a Scrambler. Caso o piloto seja mais estradeiro, a moto pode vir equipada com pneus radiais Michelin Anakee 2. Se o condutor tiver o espírito mais aventureiro, a montadora sugere o Metzeler Karoo. Detalhe: a moto usa rodas de alumínio Excel, de aro 19” na dianteira e aro 17” na traseira.

A parte estética, desenvolvida pela Marabese Design, traz de volta a riqueza de detalhes dos modelos da década de 1960, porém em uma moto atual, moderna, impactante. Como não poderia ser diferente, essa italiana é montada sobre um chassi de treliça, feito em aço. Este trabalho foi feito pela Verlicchi exclusivamente para a Moto Morini. Em razão da suspensão lateral, o quadro é extremamente rígido.

O suporte do paralama cromado, o duplo escape lateral e a tela de proteção do farol contrastam com o desenho moderno do tanque. Assim como o painel de instrumentos formado por dois mostradores, um digital e outro analógico, coberto por uma pequena carenagem.

Para deixar a moto com a cara do dono, a Moto Morini oferece uma ampla gama de acessórios formado por bauletos, bolsas laterais, placa lateral para número, cavalete central e protetor de motor. Na Itália, a Scrambler Moto Morini pode ser adquirida em duas versões de cores: preto/branco e branco/vermelho, ambas com quadro em preto. Em razão de sua montagem quase que artesanal e requinte em todos os detalhes, a Scrambler custa 12.290 euros. Um preço alto até para os padrões europeus.

Os brasileiros fãs do estilo scrambler têm de se contentar em admirar, pois a tradicional marca italiana não tem representante no país.

_________________

Twitter
_________________

Gosta das supermotard e de motos trail?

Então veja aqui no WebMotors as ofertas para estas motos:

Sundown STX

Husqvarna WR 360

Yamaha DT 180 Z Trail

Yamaha DT 200

Yamaha DT 200 R

Yamaha XT 225

Yamaha XT 600 E

Honda NX 150

Honda XLX 250 R

Honda XLX 350 R

Honda XR 200 R

Honda XR 250 Tornado Suzuki DR

Leia também:

Honda CB 1300 Super Four é uma releitura das antigas CBs

Rodamos com a MV Agusta Brutale 910S

Suzuki B-King 1300: veja como anda a moto do ano de 2008

Ducati Monster 1100, uma big naked italiana

Nova Yamaha YZF-R1 2009 utiliza DNA de MotoGP

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors