Com Corolla Cross, Toyota quer crescer 25%

Marca japonesa confirma "novo carro" produzido no Brasil e conclusão de ciclo de investimentos no país

  1. Home
  2. Últimas notícias
  3. Com Corolla Cross, Toyota quer crescer 25%
Fernando Miragaya
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

A pandemia foi ruim para a indústria automobilística, mas a Toyota não tem muito do que reclamar. Em um ano atípico, a empresa ficou entre as cinco primeiras com maior participação. Nesse embalo, mantém perspectiva de crescimento em 2021, alavancado pelo "novo produto", que foi confirmado e que já sabemos qual é: o Corolla Cross.

Pois é, a Toyota projeta um crescimento de 25% em 2021, já com este "novo modelo". O crossover baseado no sedã médio já é produzido no interior paulista e deve ser lançado em março, ao que tudo indica. Nas palavras do chefão da marca por aqui, um carro pensado para o nosso mercado.

"Estamos prestes a finalizar o último ciclo de investimentos de R$ 1 bilhão na fábrica de Sorocaba para a chegada de um novo modelo. Um produto desenvolvido para os consumidores brasileiros e latino-americanos", garante Rafael Chang, presidente da Toyota do Brasil.

Como será o Corolla Cross?

Toyota Corolla Cross
Toyota Corolla Cross tem porte de Jeep Compass e terá os mesmos motores do sedã médio
Crédito: Divulgação

Para brigar no mercado dominado por Jeep Compass, e onde figurará o futuro Volkswagen Taos, o Corolla Cross usará as mesmas opções de motores e câmbio do sedã - que acaba de chegar à linha 2022: 2.0 com injeção direta e 177/169 cv de potência, aliado ao câmbio CVT de 10 marchas simuladas. Também são aguardadas variantes híbridas com o 1.8 de 98 cv associado a um elétrico de 72 cv.

Feito sobre a plataforma TNGA, o Corolla Cross tem 4,46 metros de comprimento, 1,82 m de largura, 1,62 m de altura e 2,64 m de entre-eixos - medidas do modelo que roda na Ásia. Desta forma, é menor que o Corolla sedã e tem porte bastante próximo ao do Compass.

Vai vender bem?

É o que a Toyota espera para chegar a esses 25% de crescimento como meta. Na verdade, a marca revisou para baixo sua projeção no mercado brasileiro, que era de evolução de 38%. De qualquer forma, a montadora anotou cerca de 135 mil veículos emplacados no Brasil em 2020, e uma produção de mais de 116 mil unidades (Etios, Yaris e Corolla, este o sedã médio mais vendido no país e o carro mais comercializado no mundo).

Apesar da queda de 37% na comparação com 2019, a japonesa foi a quinta colocada em participação, com mais de 9% do mercado total, segundo a Fenabrave. No recorte dos comerciais leves, a Toyota foi a segunda, com 18,5%, atrás apenas da Fiat e impulsionada pelas vendas da Hilux importada da Argentina - foram mais de 32 mil emplacamentos da picape no Brasil.

Comentários