Por que um muscle car restaurado é tão caro?

Fomos descobrir por qual motivo alguns modelos clássicos da década de 1960 podem custar mais até que o mesmo modelo 0 km

  1. Home
  2. Últimas notícias
  3. Por que um muscle car restaurado é tão caro?
André Deliberato
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

Por que um Ford Mustang Fastback de 1967, por exemplo, custa tão caro para quem quer comprar um muscle car restaurado daquela época, seja no Brasil ou em qualquer lugar do mundo? Vem comigo que hoje vamos descobrir o motivo de alguns carros dessa época serem tão valorizados.

"Muscle Culture" é a coluna de André Deliberato (@andredeliberato no Twitter e no Instagram) no WM1, portal de notícias da Webmotors, que traz curiosidades e informações sobre uma das mais tradicionais filosofias norte-americanas dos anos 1960 e 1970.

Muscle Culture

    Por que um muscle car inteiro é tão caro?

    Vamos seguir com o exemplo do Ford Mustang, talvez o mais emblemático dos muscle cars hoje em dia, justamente por ser o que mais vende em todo o mundo - inclusive aqui no Brasil. Veja as ofertas que existem na página dedicada da Webmotors e note que é difícil encontrar uma unidade bem cuidada por menos de R$ 200 mil.

    Em alguns casos o preço pode até superar os atuais R$ 396.900 cobrados pelo Ford Mustang Black Shadow, versão única do modelo vendida atualmente em nosso país. O Chevrolet Camaro é outro exemplo: enquanto um 0 km custa salgados R$ 403 mil, unidades clássicas restauradas do carro em oferta na Webmotors têm valores quase tão parecidos quanto ele.

    Chevrolet Camaro
    A história do carro e a luta para que a restauração chegue ao estado original são fatores que contam na hora de decidir o valor da venda
    Crédito: Chevrolet Camaro

    Mas por que isso acontece?

    Parte dessa resposta está na história do carro com o (ou os) ex-dono (s) e no quanto de dinheiro foi investido para que o modelo pudesse retornar ao seu estado de conservação original. "Um carro antigo não se fabrica mais e pode ser único, enquanto um atual é feito quando o comprador quiser. Isso ajuda a explicar a diferença de preço entre eles", explica Orlando Curto, do canal "Paixão por Antigos".

    "Um muscle car ainda tem por trás toda uma filosofia, o que dá a ele um status de raridade, já que a partir disso ele deixa de ser somente um carro antigo. Normalmente, os processos de restauração e recuperação de carros desse tipo exigem muito mais 'luta' por parte de quem busca esse processo do que dinheiro em si. Isso também faz diferença no preço cobrado", complementa o especialista.

    Depois disso, também entra em questão a história de vida do carro. Por exemplo, o Ford Mustang 1967 utilizado nas gravações da franquia de filmes "Velozes e Furiosos" certamente custou ao seu novo proprietário muito mais do que custaria uma mesma versão deste automóvel que pertencesse a uma simples concessionária de clássicos.

    Orlando Curto acredita que existam muitos outros muscle cars e carros antigos por aí com histórias incríveis que poderiam valer uma bela grana. Mas na opinião do especialista, os donos não deveriam vender estes carros por quaisquer que fossem os valores oferecidos. "É por isso que dizemos que esses clássicos têm valores inestimáveis", finaliza.

    Comentários