Renault Alpine. De novo?

Alpine é um destas palavras mágicas. Na França relembra o pequeno carro local que vencia temporadas mundiais de rallye
  1. Home
  2. Pit-Stop
  3. Renault Alpine. De novo?
Roberto Nasser
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon


Há veículos e tipos que ultrapassam o tempo, viram referência, ícones e pouco se dão aos passos empresariais que estragaram sua história. Alpine é um destas palavras mágicas. Na França relembra o pequeno carro local que vencia temporadas mundiais de rallye. No Brasil, associado ao Willys Interlagos, vencendo provas de velocidade.


Na França comemora-se o cinquentenário do surgimento do A 110 – sucessor do A 108 feito aqui. E a Renault, que comprou – e acabou com a marca – resolveu fazer carro conceito para instigar a memória, chamando-o Renault Alpine A 110-50. Poderes de montadora, o fizeram de carroceria em fibra de carbono e pintando na interpretação do Azul Alpine – matiz utilizado pela marca do azul designado à França para seus carros de corrida.


Feito sob as ordens de Jean-Michel Jallinier, ex presidente da Renault no Brasil e agora chefiando a Renault Sport Technologies, aproveita a tecnologia desenvolvida no Mégane Trophy.


Antes traseiro, como um motor de popa, agora entre eixos. O vidro traseiro, tridimensional como de origem, copia soluções italianas e permitem visualizar o motor. O design é explicado como simples, sensual e acolhedor. Chassi tubular, aerodinâmica cuidada para aproveitar o fluxo de ar para dar maior estabilidade. Motor V6, 24 válvulas, coletor de admissão em carbono e cerca de 400 cv de potência, atracado a caixa de transmissão sequencial, semi automática, dois discos de embreagem, seis marchas. Freios a disco nas 4 rodas, dianteiros 6 pistões, traseiros com quatro. Base assemelhada ao do Mégane: 2.635 mm entre eixos, bitola dianteira 1.680 mm e traseira com 1.690 mm, aros com rodas 21”, fixadas por cubo rápido – uma rosca central, amortecedores Sachs, tratamento de condução profissionalmente esportiva, sem ABS ou EBD para os freios. Gerenciamento eletrônico por caixa Magneti-Mareli. Talvez seja produzido dentro da nova postura da Renault de existir em quatro níveis. Este seria o esportivo.


Aqui, oportunidade perdida


Designer paulistano, João Paulo Melo desenvolveu projeto factível para o re lançamento nacional do Interlagos, o Alpine A 108. Coerente, prático – o que o levou a ser designer da Fiat – criou plataforma e aplicou o grupo motor do Mégane 2 litros e transmissão original de seis velocidades colocados entre eixos transversal traseiros. Sem pirações criativas, fácil de ser construído, preço de venda calculado em R$ 120 mil. Entretanto, apesar de premiado e de ter operação industrial simples, terceirizada, não foi adotado pela Renault. A fim? Veja o projeto em Cardesignnews


A diferença entre a releitura do Alpine francês e o brasileiro é que o de lá é festa de marketing promocional e o daqui, factível desde que existam investidores ou pressão dos revendedores instigando interesses da Renault na América do Sul.


Argentina quer organizar carros de pequena produção


Dois deputados, de partidos da oposição, Eduardo Amadeo, Frente Peronista, e Paula Bertol, Pro, apresentaram projeto para regulamentar na Argentina o que chamam de “Carros Montados Fora de Fábrica” – os de pequena produção. É consequência de ação desenvolvida pela Associação de Construtores Independentes de Automóveis na República Argentina, ACIARA, fazendo ver ao governo as perdas com as proibições baixadas no governo de Néstor, antecessor da atual Cristina Kirschner.


A Argentina vive situação curiosa porque a legislação não entende como fábricas as iniciativas pontuais de construção em pequena produção e, por isto, não licencia os produtos, exportados na quase totalidade. A legislação fechou talentosas iniciativas, gerando encerrar a produção da única licença para fazer Lotus Seven fora da Inglaterra, como levou ao fechamento a indústria de Oswaldo Bessia, fazendo ótimas réplicas de Ford Cobra e GT 40, e outros pequenos construtores.


Acredita-se existirá consenso entre Governo e Oposição. Observadores dizem que sim, pois a presidente quando vai à cidade de Paraná, ao norte de Buenos Aires, visita a fábrica do Pur Sang, hóspede de Leónidas Anadón, que replica Bugattis 35 com tal perfeição que a diferença entre original e cópia só é perceptível a especialistas.


Socorro – A Citroën tocou o alarme para consertar seus modelos Pallas e C4. Em todos podem haver problema com a vedação, provocando entrada de água no compartimento do motor, gerando incêndio. Gratuito, compulsório, hora e meia para trocar. Dúvidas? www.citroen.com.br ou 0800 011 8088.


Festa – Para festejar 110 anos de experiência com motores a Renault retornará ao Festival de Velocidade em Goodwood, a 100 km de Londres, de 29 a 1º de julho, um dos eventos pontuais de antigomobilismo mundial. Levará ícones do passado como Renault Maxi 5 Turbo, Alpine A110 e A 443, e do presente, como os elétricos ZOE e o Twizy.


Crescimento – Os carros híbridos da Audi fizeram primeira, segunda, terceira e quinta posições nas 24 Horas de Le Mans, atualmente a mais famosa prova de resistência no mundo.


Verdade – A agencia AutoInforme realiza levantamento sobre o mercado e criou indicador próprio, o Preço Verdade – o que realmente existe nos negócios. Registrou que pós medidas oficiais preços caíram, vendas cresceram. As maiores nacionais e a JAC foram as que baixaram maiores valores.


Oportunidade – Aproveitando a Rio+20 a Pirelli apresentou medidas ecológicas adotadas em sua matriz italiana, e aplicadas no Brasil, como o rastreamento de carbono de seus pneus da fabricação ao fim. Em termos ecológicos a Pirelli desenvolveu processo para produzir sílica, componente dos pneus, a partir de casca de arroz.


Ecologia – Dado alarmante nestes dias de institucional preocupação ecológica, apenas 4% dos vidros automotivos é reciclado. Os restantes 4.800.000 de quilos mensais, incluindo os para brisas com alma de plástico continuam sendo dispersados na natureza em degradação infinda.


Solução - Kleber Carreira, presidente do Instituto Autoglass, clama por tecnologia especial. No Brasil apenas o Espírito Santo regulamenta o assunto, tema do PL 8005/2010, atualmente na Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (CMADS) da Câmara dos Deputados.


Gente – Paulo Sérgio Kakinoff, engenheiro, desafio à altura. Deixou a presidência da Audi, e assume a da Gol. Dia 2. Surpresa no mercado, vinha sendo treinado para posto elevado na Volkswagen mundial. Leandro Radomile, diretor de Marketing e Vendas da Audi, promoção. Succaptioná Kakinoff.


Regulagem fina. Os acertos no Palio Weekend Adventure


Criadora dos carros com aparência fora de estrada, descobridora de um sub segmento nunca imaginado por outras montadoras, a Fiat reviu e aprimorou o Palio Weekend e o picape Strada. Focou em conteúdo mais rico, praticidade, instigou o uso de itens de segurança, através do HSD, pacote com air bag duplo e freios ABS com gestor EBD. Interessante observar na linha Weekend o foco fino na clientela. A Adventure, mais desejada das versões, com maiores habilidades a andar em pisos ruins.


As opiniões expressas nesta matéria são de responsabilidade de seu autor e não refletem, necessariamente, a opinião do site WebMotors.


O melhor classificado de carros e motos do Brasil tem também a avaliação mais completa. Com a Tabela Fipe / WebMotors você sabe o menor, maior e preço médio do veículo no Brasil e em sua região. Avalie agora mesmo para fazer uma boa compra ou venda do seu carro ou moto.

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors