A volta da tração traseira nos EUA

  1. Home
  2. Pit-Stop
  3. A volta da tração traseira nos EUA
Karina Autopress
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

- Para a maioria dos observadores da cena automotiva, uma das grandes burradas que a direção da GM fez foi transformar o Chevrolet Caprice num tração dianteira. A GM deu de graça à Ford, e em menor quantidade à Chrysler, os importantíssimos nichos de mercado de táxis e carros de polícia e serviços reservados, que abandonaram os Caprice e se voltaram aos Crown Victoria. O tempo passa, porém, e com o aumento generalizado de torque e potência de seus carros, a GM está de volta à tração traseira, inicialmente com o Camaro 2009 baseado no carro-conceito de mesmo nome, extremamente bem recebido nos salões em que foi mostrado.

O novo cupê esportivo, com motor Corvette, aparecerá no primeiro trimestre de 2009, com opção de motores V-6 ou V-8 e suspensão independente nas quatro rodas, parte da nova arquitetura chamada Global RWD, previamente conhecida como Zeta. Logo depois, os Impala voltarão à tração traseira e a ser um pouco mais pesados e maiores que os atuais – um retorno à cultura automobilística americana tradicional, agora com padrões de estabilidade e agilidade que os velhos americanos nunca tiveram de fábrica, mas que sempre puderam conseguir nas imensas listas de peças especiais de produção comum.

O Impala, assim, ficará mais longe do Malibu, seu modelo mais próximo. Um Impala de tração traseira ficará bem diferente de um Malibu de tração dianteira, oferecendo aos consumidores mais opções e deixando os concorrentes com menos. O Holden Commodore australiano, um aumento do Omega, está com possibilidade de receber coisinhas como um motor V-8 de alumínio e ser comercializado também nos Estados Unidos.

A marca da GM que aparentemente está mais se beneficiando da tração traseira é a Cadillac, cujos compradores nunca aceitaram plenamente a tração dianteira e voltaram correndo à marca quando ela voltou ao seu “caminho correto”.

Os contrários à indústria e existem muitos, principalmente entre os verdes e os antivelocidade, estão começando a chamar a onda de volta à tração traseira de “carros nostálgicos”. Vêem o começo desta tendência como um retorno aos pony cars pequenos carros musculosos, mas os amantes dos automóveis os vêem como concorrentes aos importados, que deixarão o caminho livre para o retorno de grandes sedãs de tração traseira.

A virada de direção da GM está sendo bem-aproveitada pela Ford, que desde meados de 2004 tem seu Mustang de tração traseira vendendo muito bem e ressuscitando o mercado de muscle cars. A Ford, revivendo um programa que a Chevrolet fez quatro décadas atrás com seu Corvette de transmissão manual, está aprontando um Rent-a-Racer alugue um carro de corridas para a Hertz, com motor V-8 4.6 de 325 hp, ou 329,5 cv – ótima dica para quem for viajar para lá e ficar em estradas e horários menos movimentados. E seus gerentes afirmam que terão novidades anuais dos Mustang

O Grupo Chrysler também não está dormindo – e com motores e outros sistemas mecânicos conjuntos Mercedes-Chrysler, já tem em mercado um sedã quatro portas Dodge Charger vendas de 11.690 unidades em 2005, contra 67.079 de janeiro a setembro deste ano e dentro de menos de um ano terá igualmente um cupê duas portas chamado Challenger – um nome respeitável, mas que há 25 anos não aparecia no mercado de carros novos. O Chrysler 300C de 2005 vendeu 83.772 unidades nos primeiros sete meses do ano e o Dodge Magnum, 23.731 unidades. A plataforma deles, chamada de LX, vendeu em 2005 319.721 unidades desses carros, mais que o dobro das 140.349 unidades da LX anterior, que era de tração dianteira.

Os institutos de pesquisas de mercado garantem que o mercado americano para esse tipo de veículo tração traseira, alto desempenho será de mais de um milhão de unidades já em 2010, incluindo nisso os carros grandes importados. Hoje, já vendem metade de todos os carros grandes e de luxo, enquanto dois anos atrás não passavam de um em três. Alguns observadores afirmam que o tração traseira é o tipo de carro que vai salvar a indústria americana.

Leia outras colunas de José Luiz Vieira aqui
________________________________

Quer receber nossa newsletter e boletins de manutenção de seu carro? Então se cadastre na Agenda do Carro clicando aqui e receba boletins quinzenais com as notícias mais quentes!
________________________________

E-mail: Comente esta coluna

Envie essa coluna para uma amigoa
________________________________
José Luiz Vieira é engenheiro automobilístico e jornalista, diretor de redação da revista Carga & Transporte e do site TechTalk www.techtalk.com.br, sócio-proprietário da empresa JLV Consultoria e um dos mais respeitados jornalistas especializados em automóveis do Brasil. Trabalhou como piloto de testes em várias fábricas e foi diretor de redação da revista Motor3. E-mail: joseluiz@jlvconsultoria.com.br

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors