Fiat Stilo Dualogic não é um mico na hora da manutenção

Embreagem do câmbio automatizado é fácil de ser trocada, já as reclamações em relação à suspensão continuam
  1. Home
  2. Tecnologia
  3. Fiat Stilo Dualogic não é um mico na hora da manutenção
Oficina Brasil
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

- Lançado em 2002, o Fiat Stilo trouxe muita tecnologia embarcada e um novo hatch médio competitivo para a marca italiana, que sofreu com alguns problemas do Brava. O antecessor do Stilo nunca foi um grande sucesso &ndash inclusive entre muitos reparadores &ndash e amargou um fim de vida melancólico.

Com o hatch atual foi diferente. Apesar de não ser um modelo campeão de vendas, o Stilo é um bom carro e traz o ótimo motor 1.8 8V de origem GM, conhecido por sua robustez, facilidade de manutenção e consumo de combustível elevado. Acompanhe a seguir todos os detalhes técnicos de uma unidade com câmbio automatizado Dualogic analisada pela equipe do Oficina Brasil.

Motor

A unidade central do motor é desenvolvida pela Magneti Marelli e está localizada ao lado do reservatório de fluido de freio. Modelo avaliado apresentou um possível vazamento no filtro de óleo. O aperto correto é muito importante para durabilidade do anel de vedação. Outro item de extrema importância no aperto é o "bujão" do Carter, a casos em que a rosca é danificada na fixação da peça.

Na unidade avaliada, o catalisador é separado do coletor de gases do escapamento, o que facilita a substituição do catalisador no momento que a vida útil desta importante peça aproximadamente 80.000km segundo os fabricantes de catalisadores. O motor de partida fica logo acima do semi-eixo, por isso o reparador deve retirar a peça por baixo do veículo. As correias não apresentam dificuldade em caso de manutenção, e a posição do motor contribui tanto em sua montagem quanto na desmontagem.

O sistema elétrico do Stilo é bastante complexo, resultado do acréscimo de equipamentos como direção servo-assistida e o câmbio robotizado. Por conta disso, existe sobre o pólo positivo da bateria uma mini caixa de distribuição elétrica que confere ao sistema o melhor arranjo dos circuitos.

Assim como no Punto, o acesso as válvulas injetoras de combustível é obstruída por uma peça com duas funções: suportar uma das tubulações de arrefecimento e o revestimento do motor. "Esta peça existe somente nos motores 1.8 Fiat, pois nos propulsores GM esta tubulação é de plástico e fica abaixo do coletor de admissão", informa Eduardo de Freitas, consultor técnico do jornal Oficina Brasil e proprietário da Ingelauto.

Bem protegido, o reservatório do cânister está localizado acima do pára-barro dianteiro esquerdo. Contendo uma capa de proteção, o filtro de combustível fica entre a caixa de estepe e a carroceria.

Câmbio

Este modelo é equipado com o sistema Dualogic, que permite ao motorista conduzir o veículo através de duas lógicas de funcionamento: manual e automático. Com o auxílio de uma unidade eletrohidráulica posicionada na parte externa do câmbio, o acionamento da embreagem é realizado automaticamente.

Para trocar a embreagem, o reparador tem como opção deslocar o quadro da suspensão, e ganhar assim espaço para manusear o câmbio. Esse processo não leva mais de 30 minutos e proporciona facilidade na montagem.

Suspensão e direção

"As buchas das bandejas e as bieletas são alvos de barulho na suspensão. Esses itens são muito trocados na maioria dos Stilo", informa Julio César Souza, consultor técnico do jornal Oficina Brasil.

Como na maioria dos modelos Fiat, a barra estabilizadora dianteira fica acima do quadro do motor. Em caso de remoção, é preciso deslocar o quadro para realizar a retirada da peça. A caixa de direção dos modelos antigos apresenta barulho com freqüência. Para solucionar esses incidentes, o mecânico substituía o reparo. A Fiat, porém, indica a troca da caixa de direção.

Com rodas semi-independentes e barra estabilizadora na travessa de torção, a suspensão traseira não teve modificações em relação ao modelo antigo.

Freios

O hatch conta com discos ventilados na dianteira e tambor com sapatas autocentrantes na traseira. O sistema de freio dianteiro possui um sensor de limite de desgaste que avisa no painel do veículo a hora de trocar as pastilhas.

No quadro de suspensão traseira existe um suporte para o cabo do freio de estacionamento. Em caso de manutenção, devemos nos certificar quanto ao correto posicionamento do cabo. Se ele estiver colocado de forma errada, pode se soltar e ser danificado pela mola da suspensão.

Impressões ao Dirigir

O motor, de 1.8 litro, flex, deixa um pouco a desejar em termos de performance, principalmente para um carro que tem a palavra Sporting no nome. Isso, no entanto, ajuda no consumo. Abastecido com álcool, obteve uma boa média de 8 km/l em circuito misto 60% estrada 40% cidade.

A cor Vermelho Modena do modelo avaliado faz com que o carro chame atenção na rua, por onde passa. Mas os diferenciais do Novo Stilo 2009 Sporting Dualogic 1.8 8V Flex são o câmbio robotizado automatizado e o teto solar Sky Window, que são itens de série do modelo. A crítica fica por conta da posição de troca de marcha na opção manual, que reduz ao levar a alavanca para frente e sobe ao movê-la para trás. Nos veículos com câmbio tiptronic, como o Peugeot 307, o movimento é contrário: marchas acima para frente e atrás para baixo.

O câmbio Dualogic é uma opção bastante interessante para quem enfrenta trânsito pesado, pois na posição automática trabalha de forma similar a uma transmissão automática convencional, com a vantagem do custo mais baixo. Porém, a troca de marcha é bem mais lenta, uma característica própria do sistema. Motoristas acostumados com a transmissão automática convencional devem estranhar bastante esta nova tecnologia.

A versão avaliada trazia como opcionais air bags duplos, freios ABS e controle de tração, sensor de chuva, sensor crepuscular acendimento automático dos faróis, sensor de estacionamento e retrovisor interno eletrocrômico, além de volante em couro com alavancas de seleção das marchas tipo borboleta e comandos do rádio.

A direção elétrica, outro item de série, deixa o carro leve, o que facilita as manobras, mesmo equipado com rodas de 17" e pneus 215/50.

O modelo avaliado é um carro muito prático e oferece bons recursos eletrônicos, como piloto automático e computador de bordo com destaque para as funções de autonomia, consumo médio e instantâneo, o que permite ao motorista um melhor gerenciamento do gasto de combustível..

Em resumo, fica aquela dúvida: ter um carro na garagem por gosto ou por investimento? A balança, neste caso, pesa bem para o primeiro lado, o do prazer de ter este hatch médio.

Avaliação feita por Alexandre Akashi - Editor do Jornal Oficina Brasil.

Veja também o teste elaborado pelo WebMotors do Fiat Stilo 1.8 Dualogic.

Gosta de hatches médios?

Então veja aqui no WebMotors as melhores ofertas para esse segmento:

Peugeot 307

Peugeot 306

Volkswagen Golf

Renault Mégane

Chevrolet Astra

Ford Focus

  • Fiat Stilo


  • Leia também:Verve Notchback revela o futuro sedã pequeno da Ford

    Citroën Xsara Picasso muda para segurar mercado

    Omega, o “Logan” de luxo da Chevrolet

    Nissan Tiida promete agitar mercado de hatches médios

    Logan, o “carro do povo” da Renault

    Comentários

    Ofertas Relacionadas

    logo Webmotors