Fiat Mille mantém a fama, sem grandes evoluções

Novo painel com marcador de consumo, posição de dirigir mais baixa e alavanca do câmbio com seleção de marcha ré


  1. Home
  2. Testes
  3. Fiat Mille mantém a fama, sem grandes evoluções
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

- Fabricar carros de entrada sempre foi encarado como uma receita de sucesso pelas montadoras brasileiras. Essa história ficou ainda mais séria quando o governo reduziu o IPI Imposto sobre Produto Industrializado dos automóveis equipados com motor 1-litro.

O WebMotors rodou durante uma semana com o Mille Economy em circuitos urbanos e rodoviários. O trunfo de ser um modelo econômico continuou presente no DNA do carro, que está mais leve que a versão anterior. De acordo com as nossas medições, o Mille fez 16,7 km/l com gasolina na cidade e 21 km/l com o mesmo combustível na estrada. Rodando com álcool o Mille marcou 10 km/l na área metropolitana e 14 km/l na rodovia.

O valor do Mille duas portas é de R$ 21.754, com quatro portas o mesmo carro sai por R$ 23.367. O pacote de opcionais do carro mais barato do Brasil é bem vasto. Para ter idéia montamos um Fiat Mille completo, com todos os opcionais que ele tem direito, e o valor ficou perto de um Mille e meio, ou seja, R$ 30 mil. Dentro da lista simulada estava itens como: direção hidráulica, ar-condicionado e aparelho de som com alto-falantes.

Se comparado com a versão comercializada anteriormente, o Mille mudou apenas nos detalhes. Por isso, vale olhar a tabela antes de fechar o negócio, afinal, um modelo usado, fabricado em 2007, custa cerca de R$ 19 mil.

O que está diferente no novo:

A posição de dirigir do novo Mille está alguns centímetros mais baixa. Isso é mais vantajoso para os de estatura maior, além de gerar maior conforto adjetivo escasso neste modelo. A alavanca de câmbio manteve a “orelha”, incorporada a partir de 2008, para o apoio dos dedos na hora do engate da marcha ré. Apesar de velho na linha Palio, este detalhe ajuda o problema recorrente de sincronismo do Mille para engatar a seleção contrária.

Para ficar menos ruidoso e também menos simplório, a Fiat manteve o encarpetamento das caixas de rodas do porta-malas. Já esteticamente o Mille abandonou o pára-choque preto de plástico poroso, que conforme o tempo desbota, e adotou uma nova grade do radiador. Com os novos recursos visuais o “Uno” perdeu aquele ar de "Lada" russo tão questionado quando recebeu novos faróis em 2004.

O painel ganhou um ponteiro que mede o consumo instantâneo, uma espécie de vacuômetro, batizado pela Fiat de econômetro. Algo semelhante foi lançado pela primeira vez no Brasil nos modelos Fiat Tipo e Chevrolet Kadette. Não podemos então dizer que o novo ponteirinho é uma evolução.

Pode-se dizer que é um “charme” adicionado pela marca italiana, com o objetivo de confirmar que o carro está longe de ser um alcoólatra.

Mudanças de engenharia

O motor de quatro cilindros em linha, de exatos 999,1 cm³, trabalha com uma taxa de compressão maior a partir de 2005, passou de 9,5:1 a 11,65:1. Com isso, a potência que antes era de 55 cv a 5.500 rpm passou para 65 cv a 6.000 rpm quando abastecido a gasolina. O torque que no Mille anterior era de 8,5 kgm a 2.500 rpm também subiu, para 9,1 kgm na mesma faixa de rpm.

A transmissão ficou mais longa se comparada com a versão comercializada em 2008. Agora o Mille usa as seguintes relações: 1ª 4,27 4,27, 2ª 2,23 2,34, 3ª 1,44 1,44, 4ª 1,03 1,02, 5ª 0,83 0,87, Ré 3,90 3,91 e diferencial de 4,06 4,07. As diferenças mais consideráveis estão na segunda velocidade e na quinta. O Mille antigo pedia sim uma última seleção mais longa.

O peso do novo Mille é de 810 kg, já do modelo anterior é de 825 kg. Com a nova medida o modelo registra uma relação peso/potência de 12,4 kg/cv, enquanto o antigo marcava 15 kg/cv.

Pneus de baixa resistência

Toda novidade tem um lado bom e outro ruim. Isso ocorre com os novos “pisantes” do Economy. Ao contrário dos pneus 145/80 R13, o novo usa modelos 165/70 R13 de baixa resistência. A vantagem que o usuário leva está na economia do combustível veja matéria sobre esse tipo de pneu. O lado escuro da força está na falta de um pneu de reposição nas lojas especializadas. Você só encontra o pneu do Economy nas concessionárias da Fiat. Durante o teste com o Economy simulamos um caso que naturalmente ocorre nas estradas brasileiras, o de perder os dois pneus dianteiros em um buraco. Das três concessionárias consultadas, nenhuma delas nos respondeu como encontrar o pneu original do Economy.

A hipótese natural para resolver este problema seria buscar o item no mercado de reposição. Porém, o novo Mille utiliza uma cambagem totalmente diferenciada e exclusiva para o uso dos pneus ecológicos. Então, se você comprar o Mille fuja dos buracos, porque além de usar pneus mais caros, eles são difíceis de encontrar.

Comparativo rápido com os populares Volkswagen Gol antigo e Chevrolet Celta:

O “Uno” é o mais barato entre os três. Um Gol G4 “pé de boi” custa o mesmo que um Mille equipado com ar-condicionado e direção hidráulica. Entre os três mosqueteiros do preço, o mais potente é o Gol 71 cv. O Celta fica em segundo lugar com 70 cv. No torque, o Mille aponta o segundo lugar 9,2 kgm e o Volkswagen fica em primeiro com 9,7 kgm. O hatch da Fiat é o mais “magro” 810 kg e o Chevrolet o mais pesado 880 kg.

Desempenho e consumo

De acordo com a Fiat, o compacto atinge a velocidade máxima de 153 km/h quando abastecido a álcool. Já a aceleração de 0 a 100 km/h pode ser feita em 14,7 s com o uso do mesmo combustível. A Fiat diz que o Mille faz 15,6 km/l com gasolina na cidade e 22 km/l na estrada. Com álcool a empresa afirma que o modelo faz 11,1 km/l no cenário urbano e 15,6 na rodovia.

FICHA TÉCNICA – Fiat Mille Fire Economy

MOTORQuatro tempos, quatro cilindros em linha, transversal, refrigeração a água, 999,1 cm³
POTÊNCIA65 cv gasolina e 66 cv álcool a 6.000 rpm
TORQUE9,1 kgm gasolina e 9,2 kgm álcool a 2.500 rpm
CÂMBIOManual de cinco velocidades
TRAÇÃODianteira
DIREÇÃOPor pinhão e cremalheira; hidráulica opcional
RODASAro 13” de aço e liga-leve opcional
PNEUS165/70 R13
COMPRIMENTO3,69 m
ALTURA1,44 m
LARGURA1,54 m
ENTREEIXO2,36 m
PORTA-MALAS290 l
PESO em ordem de marcha810 kg
TANQUE50 l
SUSPENSÃODianteira Mc Pherson com rodas independentes, braços oscilantes inferiores transversais com barra estabilizadora. Traseiro com rodas independentes e braços oscilantes
FREIOSDiscos ventilados na dianteira e tambores na traseira
CORES Azul Búzios, Branco Banchisa, Preto Vulcano, Vermelho Alpine, Azul Vitality, Cinza Scandium, Prata Bari e Verde Lagoon
PREÇO R$ 21.754 duas portas e R$ 23.367 quatro portas


Siga a gente no Twitter! Novidades, segredos e muito mais: www.twitter.com/WebMotors

DERRAPAMOS: Alavanca de câmbio com inibidor de marcha ré começou a ser usada pelo Mille em 2008. Já a nova potência foi incorporada em 2005 com a entrada dos motores com tecnologia flexível em combustível. Texto devidamente atualizado.


Gosta de hatches pequenos?

Então veja aqui no WebMotors a oferta dos modelos mais baratos do Brasil:

Fiat Mille

VW Gol 1.0 Fiat Palio 1.0

Chevrolet Celta 1.0

Leia também:

Chrysler 300C V6, por R$ 139,9 mil, se torna um papa-Omega

Renault Sandero Privilège 1.6 16V

Citroën C3 Automatique mostra haver vida em automáticos de 4 marchas

Mercedes-Benz E 350 agora vem com kit AMG de série

Nova Fiat Palio Adventure Locker quase parece um SUV

Focus Sedan X C4 Pallas X Mégane: qual leva a melhor?

Se você quiser um Ford Ka, sua escolha é o Tecno

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors