<b>Teste WM: Novo Laguna Hatch V6 Privilège</b>

<b><i>Como é gostoso esse francês!</b></i>


  1. Home
  2. Testes
  3. <b>Teste WM: Novo Laguna Hatch V6 Privilège</b>
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

O novo Laguna reúne o supra-sumo da tecnologia automotiva da Renault. Com alto nível de eletrônica embarcada, visual atraente e potente motor de 210 cavalos, a versão Privilège, ‘top’ de linha do modelo, tem tudo para conquistar a preferência do seleto grupo de consumidores de carros de luxo.

Por Ricardo Panessa
Fotos: Luís Felipe Figueiredo


Ele custa caro, mas vale o quanto custa. Afinal, para o seleto grupo de consumidores de carros de luxo, R$ 146 mil não é tanto assim, principalmente considerando as qualidades típicas de veículos desse segmento, e algumas características exclusivas do mais sofisticado dentre todos os modelos Renault.

O novo Renault Laguna Hatch 3.0 V6 Privilège, líder de vendas no mercado de carros médios de luxo na Europa, é um verdadeiro “bonitão francês”. Agradável sob todos os aspectos, esbanja luxo, conforto, tecnologia e desempenho. A beleza de suas linhas é assunto pessoal, mas o conjunto de qualidades que incorpora justifica a exclamação que remete ao título daquele famoso filme brasileiro: ‘como é gostoso esse francês...’

Disponível para compra também através da internet, o novo Renault Laguna Hatch Privilège tem tudo para agradar os consumidores mais exigentes. O painel de instrumentos é o máximo em ergonomia e funcionalidade, e entre os itens de conforto e conveniência destacam-se bancos em couro, ar-condicionado digital com ajustes para motorista e passageiro, piloto automático, computador de bordo, trio elétrico, rádio com CD player e comando satélite na coluna de direção, travamento automático das portas a 6 km/h e teto solar elétrico, entre outros.

O charme fica por conta da ‘computadora de bordo’, que, através de uma voz feminina com sotaque português de Portugal, dá as boas vindas ao motorista todas as vezes que ele liga o carro, ou avisa sobre alguma anormalidade com os equipamentos. Além disso – charme dos charmes –, um cartão substitui as chaves de ignição e de abertura da porta. Para abrir o carro, basta pressionar o ícone ‘un lock’, e para ligar e desligar o motor basta colocá-lo numa espécie de fenda no painel e apertar um botão.

Desempenho primoroso
Motor de 210 cavalos garante performance impecável
De tão confortável, o novo Laguna convida o motorista a dirigir lenta e placidamente. Mas para quem tem pressa ou simplesmente gosta de conduzir de forma mais arrojada, seu motor V6 de 3.0 litros disponibiliza potência de 210 cavalos. Em conjunto com a transmissão automática de cinco velocidades, que também responde manual e seqüencialmente adaptando-se ao modo de dirigir de cada motorista, proporciona tocadas bem esportivas, tornando o carro ágil, veloz e estável, com alto nível de conforto interno.

Segurança máxima também é privilégio do modelo. Próximo de conquistar o prêmio máximo de segurança veicular outorgado pelo EuroNCap (entidade de segurança veicular européia), o novo Laguna tem nos recursos de segurança ativa e passiva outro ponto de destaque.

O carro tem seis airbags (bolsas de ar que inflam em batidas), sistema automático de corte de combustível em caso de acidente, estrutura de carroceria reforçada e um dispositivo que faz airbag e cinto de segurança funcionarem juntos. Isso sem falar em freios ABS (antitravamento), EBD (distribuição eletrônica da força de frenagem) e AFU (assistência à frenagem de urgência). A direção hidráulica é do tipo variável e progressiva, comandada eletronicamente, ‘endurecida’ proporcionalmente à velocidade do carro.

Visual renovado
Faróis e grade dão personalidade à dianteira do modelo
O novo Laguna renovou seu aspecto externo e melhorou o conforto interno. Poucos centímetros maior que o antecessor, a nova versão passou de 4,51 para 4,57 metros. Já a largura aumentou de 2,04 para 2,06 metros, mas a capacidade do porta malas diminuiu de 452 para 430 litros, o menor da categoria. Mas às favas com as malas, para privilegiar o passageiros.

O desenho externo em geral recebeu atenção especial dos estilistas, mas é a dianteira que dá mais personalidade ao modelo. A grade do radiador, em tom cinza, acompanha o desenho dos faróis e ressalta o logotipo Renault instalado sobre o capô do motor, dando ‘ares’ de vida própria ao automóvel. O conjunto ótico, com lâmpadas de xenôn, e o desenho mais horizontal, que sai pelas laterais do carro, completam o visual acentuadamente moderno.

A traseira recebeu vidro mais inclinado, cujo formato assemelha-se a uma “bolha”. E para aumentar a visibilidade na parte de trás do carro, o vidro desce abaixo do mini-aerofólio. Para completar o visual moderno, a traseira do novo Laguna ganhou também tampa do porta-malas alta e reta, evidenciando a versão Hatch, com o emblema da marca como abertura, ao centro. As lanternas receberam desenho horizontal e são divididas na tampa e nas laterais do carro.

Interior confortável
Porta malas diminuiu, mas conforto interno aumentou
Além do maior espaço interno para os ocupantes, o acabamento em couro claro nos bancos, volante da direção, manopla do câmbio e painéis das portas também colaboram para o conforto, além de conferir um ‘ar’ bem sofisticado ao novo Laguna.

O apoio de braços central para os ocupantes do banco traseiro é também porta-objetos e possui dois porta-copos embutidos. Há, ainda, cortina pára-sol manual no vidro traseiro. O único item não disponível para a versão Hatch, mas presente na Grand Tour, é o sensor eletrônico de obstáculos para estacionamento.

O painel ganhou design mais arredondado e, para acompanhar o couro claro que reveste bancos e forrações, incorpora tonalidades suaves. A parte central também foi revestida em couro, além do volante e da manopla do câmbio. No topo da parte central há computador de bordo, além de indicador da temperatura.

Mais abaixo, o motorista encontra porta-trecos, CD Player, controles do ar-condicionado eletrônico, individual para motorista e passageiro da dianteira, o porta-cartão para acionamento do motor, cinzeiro e isqueiro. O botão da partida está localizado entre o painel central e o volante da direção.

Cartão substitui chaves
Recurso é utilizado também para abrir portas
O Novo Laguna “aposenta” o uso da chave para abrir o carro, e ligar ou desligar o motor. Para se ter uma idéia da praticidade desse recurso, o sistema detecta automaticamente a presença do motorista portador do cartão quando ele se aproxima do veículo e destrava a porta. O cartão pode, por exemplo, até mesmo ainda estar no bolso da calça do motorista.

Mas para ligar o carro é preciso introduzir o cartão em um leitor localizado no console central e apertar um botão instalado no painel. Ao reconhecer o cartão, o sistema destrava o bloqueador de ignição e o travamento eletro-mecânico da coluna de direção, liberando assim o funcionamento do motor. Para desligar o carro basta apertar o botão novamente e retirar o cartão.

Concorrência requintada
Segmento dos carros médios de luxo tem consumidores exigentes
Símbolo máximo de poder e status, o automóvel, de modo geral, é um dos objetos de desejo mais valorizados na sociedade moderna. Os modelos luxo, em especial, despertam ainda maior interesse.

Segundo a Renault, o segmento dos carros médios de luxo no Brasil representa potencial de vendas de cerca de 7.500 unidades anuais, ou 1% das vendas totais de veículos no país. O Citroën C5, que coincidentemente utiliza o mesmo motor 3.0 V6 de 24 válvulas do Laguna, é o líder da categoria, seguido de perto pelo BMW Série 3 e pelo Audi A4. Mas o VW Passat, Peugeot 406 e Ford Mondeo também disputam a preferência dos consumidores.

Desde que foi lançado na Europa, em 1994, o Laguna já vendeu cerca de 1,4 milhão de unidades. No Brasil, onde é comercializado desde 1996, já superou a marca de 3.400 unidades comercializadas. Baseada nessa boa retrospectiva de mercado, a Renault espera vender até o final deste ano pelo menos 300 unidades do novo Laguna, somando as versões Hatch e Grand Tour.

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors