VW Gol Rallye, Bora, Touareg V6 e V8 e Golf


  1. Home
  2. Testes
  3. VW Gol Rallye, Bora, Touareg V6 e V8 e Golf
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

- De uma só tacada a Volkswagen mostrou os novos Gol Rallye, Touareg V6 e V8, Bora e Golf com novo câmbio automático de 6 marchas. A versão Rallye do Gol é uma reedição daquela de 2003 e é, segundo a fábrica, “inspirada nos carros de competição”. Exceto a maior altura do solo 27 mm, também oferecida como opcional para outros modelos da marca, traz apenas itens estéticos.

Externamente há adesivos nas laterais, apliques em cinza nos pára-choques, faróis de longo alcance e luzes de neblina. No interior estão novamente os apliques em plástico prateado, bancos com revestimento especial e velocímetro com fundo branco.

O Gol Rallye é baseado na versão Power, com opção única de motor: o 1,6-litro que passou a render 101/103 cv a 5.750 rpm gasolina/álcool. O torque máximo é de 14,2/14,5 kgfm a 3.000 rpm. Seu preço é de R$ 36.375,00 e traz de fábrica direção hidráulica, banco do motorista com regulagem de altura, retrovisores com comando interno e desembaçador, limpador e lavador do vidro traseiro. Como opcionais são oferecidos ar-condicionado, travas e vidros dianteiros elétricos e toca-CD com leitor de MP3.

Touareg com novos motores
Nessa nova linha o utilitário esporte Touareg teve modificados 2.300 itens em relação à anterior. Os motores das duas versões oferecidas no Brasil ganharam injeção direta de combustível e aumentaram a potência. O V6 FSI de 3,6 litros passou de 250 cv para 280 cv; o V8 4,2-litros ganhou 40 cv e agora entrega potência de 350 cv. Seus preços são US$ 106 mil aproximadamente 205 mil reais para o Touareg V6 e US$ 132 mil R$ 250 mil para o V8.

Ambas as versões são equipadas com tração nas quatro rodas 4Motion e câmbio automático de 6 marchas. No V8 há opção de trocas de marchas por aletas na coluna de direção. De acordo com a VW, o Touareg V6 acelera de 0 a 100 km/h em 8,6 segundos e alcança velocidade máxima de 218 km/h. A versão V8 vai da imobilidade aos 100 km/h em 7,5 segundos – número que impressiona num veículo de 2.332 kg – e chega aos 234 km/h de velocidade máxima. E esse motor ainda tem outra característica de impressionar: sua potência máxima vem a 6.800 rpm, podendo ser acelerado até 7.000 rpm.

Igualmente interessante é o sistema de controle de cruzeiro adaptativo ACC, oferecido como opcional. Mais do que manter a velocidade selecionada, esse recurso pode também frear o Touareg, mantendo distância segura do veículo que trafega à sua frente. Opera por meio de um radar instalado na dianteira do veículo atrás do símbolo da marca, na grade dianteira e há tela específica no painel de instrumentos para indicação de seu funcionamento. Caso a velocidade seja muito elevada em relação ao veículo à frente, em vez de frear o Touareg o ACC emite um forte alerta sonoro e determina ao motorista o acionamento dos freios.

Bora renovado
Sem mudanças de desenho há quase 10 anos, o Bora passou por modificações para ganhar pouco mais de mercado. De janeiro a agosto deste ano o modelo vendeu a média mensal de aproximadamente 160 unidades. O líder dos sedãs médio-compactos, Honda Civic, vende mais de 3.500 unidades/mês. A expectativa da VW é chegar a algo em torno de 250 unidades por mês. A relação preço/benefício é seu chamariz. Com câmbio manual, custa R$ 59.790,00; com a caixa automática de 6 marchas, sobe para R$ 63.880,00, sendo uma opção interessante no segmento.

Destaca-se pelo nível de equipamentos, trazendo de fábrica ar-condicionado digital, travas e retrovisores elétricos, airbag duplo, regulagem de altura e distância para a direção, rádio toca-CD com leitor de MP3, freios com sistema antitravamento ABS e distribuição eletrônica das forças de frenagem EBD. O único opcional oferecido é o teto-solar.

As novas linhas do sedã saíram das pranchetas do centro de desenho localizado em Puebla, no México – onde ele é fabricado. Foram também o último trabalho daquele estúdio, fechado logo após. O desenho tornou o Bora parecido com a geração anterior do Passat, especialmente na dianteira. De toda forma, deixou o sedã mais bonito e atual – além de sóbrio. Nas laterais não houve qualquer mudança.

Seu motor é o mesmo 2-litros a gasolina de 116 cv a 5.200 rpm e 17,3 kgfm a 2.400 rpm. Assim como o Golf, o Bora teve o câmbio de 4 marchas trocado pelo de 6 marchas produzido pela japonesa Aisin. É a mesma caixa do Jetta e o benefício dessa modernidade é evidente: o sedã ficou bem mais agradável de guiar, embora seja algo ruidoso no habitáculo devido possivelmente ao isolamento acústico deficiente. Como não mudou, permanece com a mesma carência de espaço interno, devido ao entreeixos de 2,52 metros. Seu porta-malas tem 455 litros de capacidade.

Golf 2-litros ganha câmbio automático de 6 marchas
O Golf recebeu modificação muito bem-vinda e que deve ajudá-lo a vender mais. O hatch médio-compacto Volkswagen saltou da 5ª para a 3ª posição no ranking de vendas e em agosto vendeu mais do que o líder Chevrolet Astra 2.099 unidades contra 2.026. Segue, agora, no encalço do Ford Focus 1.377 unidades em agosto.

A antiga transmissão automática de 4 marchas deu lugar à nova de 6 marchas fabricada pela Aisin. Com a mudança, a Volkswagen espera que a versão 2-litros do Golf, única do hatch a oferecer o novo câmbio, triplique suas vendas. Hoje responde por apenas 5% do total do modelo e deve chegar a 15% ou mais. Desse porcentual, a maior parte deverá ser equipada com o recurso. Para ajudar, a VW baixou os preços do Golf 2-litros. Na versão automática custa agora de R$ 59.990,00 a R$ 64.160,00 Comfortline, redução de 12%.

Efeito colateral do bom câmbio foi evidenciar uma deficiência: agora é de motor melhor que o Golf carece. Esse de 2 litros é pouco para a nova transmissão e o hatch tem rendimento morno, inferior ao de concorrentes como o Peugeot 307 ou mesmo o Nissan Tiida que tem motor 1,8-litro. Segundo a VW, o Golf 2.0 com câmbio automático acelera de 0 a 100 km/h em 11,7 segundos e atinge 192 km/h de velocidade máxima.

Exemplo de caixa “5+E”, em que a 6ª marcha serve para economia de combustível e rodar mais confortável, tem três modos de operação. O convencional “D”, o modo esportivo “S”, em que as trocas são feitas em regimes de rotação mais elevados e a 6ª é suprimida, e o manual, deslocando a alavanca para a direita e movendo-a para frente e para trás. As trocas são muito suaves mesmo no modo “S”, acabou a desagradável “caça às marchas” que ocorria no câmbio anterior e o regime de rotação em cruzeiro também caiu. A 120 km/h o conta-giros marca apenas 3.100 rpm – poderia ser mais baixo, mas já é melhor do que na antiga 4-marchas.

Confira ofertas dos carros citados na matéria:

VW Gol Rallye

VW Bora

VW Touareg V6

VW Touareg V8

VW Golf 2.0 Comfortline

Leia também:

Chrysler 300 C SRT8

Fiat Punto Sporting

Peugeot 206 SW AT

Chevrolet Vectra GT

Montana 1,4 x Strada 1,4

________________________________

Receba as notícias mais quentes e boletins de manutenção de seu carro. Clique aqui e cadastre-se na Agenda do Carro! E-mail: Comente esta matéria

Envie essa matéria para uma amigoa

Comentários