Corcel II LDO – 1978: a renovação da Ford no Brasil nos anos 1980

O exemplar das fotos é do Batistinha, Fernando Baptista, como é conhecido o piloto e designer referência em customização automotiva
  1. Home
  2. Cultura WM1
  3. Corcel II LDO – 1978: a renovação da Ford no Brasil nos anos 1980
Antigo Motors
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

- A evolução de uma linha ou um carro completamente diferente? Quando o Corcel II foi lançado em outubro de 1977 alguns o consideraram um modelo novo, outros um avanço natural da espécie. “A alteração estética foi grande, considerado o primeiro nacional a mudar completamente de estilo, mas a parte mecânica foi apenas técnica”, conta o especialista do Portal Antigo Motors. Mas para a Ford no Brasil, foi um ponto de partida para renovação da frota a partir da década seguinte.

O exemplar das fotos é do Batistinha, Fernando Baptista, como é conhecido o piloto e designer referência em customização automotiva. O belo carro antigo chegou às suas mãos através do pai, o renomado preparador de carros de corrida, Luís Francisco Baptista.

Comprado íntegro, só acertou uns detalhes e está na família há cerca de 7 anos. “Foi feita uma revisão: freios, carburador, mangueira,... tudo em ordem. Tem apenas 38.000 km e até os pneus são Goodyear G800 originais de época”, conta o atual proprietário.

“Foi comprado de uma viúva, para variar” diz bem humorado Batista Pai. “A senhora deixou com o zelador para vender. Logo que vi aquele carro chegando e parando na porta da oficina fiquei interessado”. Ao invés de indicar comprador, fechou negócio.

Esse é o primeiro modelo de Corcel II LDO, ano 1978. Motor 1.4, com 4 marchas, sistema de platinado, hélice mecânica. Um carro simples e extremamente confortável. O projeto de design saiu das pranchetas da Ford em São Bernardo do Campo/ SP, local este que um dia abrigou a Willys Overland do Brasil. “Com a crise do petróleo chacoalhando o mercado mundial, era tempo de olhar para as necessidades reais e as alternativas locais. Evitar desperdício de tempo e dinheiro” contextualiza especialista do Portal Antigo Motors.

A questão era que a Ford queria uma proposta que melhorasse sua imagem no final da década de 1970. Que a fizessem referência em conforto, economia e modernidade. Atributos que o Corcel II trazia e passou pelo crivo da Ford Matriz, porque mudou pouco o produto e manteve a identificação com o público. Uma evolução de projeto para o mesmo consumidor, a princípio.

Na época foi sucesso. A inclinação acentuada no para-brisa melhorou o desempenho e consumo. Maior espaço interno, amplo porta-malas, econômico, visibilidade superior e outros. As percepções locais iam além. A porta generosa dos passageiros era para facilitar a entrada e saída das pessoas dos bancos traseiros, nenhum exemplar saiu 4 portas, que era uma preferência nacional, por exemplo. “Chegou a levar certa clientela do Maverick”, recorda-se Batista Pai.

“É considerado o único nochback brasileiro, porque é um fastback com uma quebra de ângulos” comenta colaborador do Portal Antigo Motors. A preferência por linhas retas foi uma característica dos anos 1980, independente da montadora.

Mesmo que tenha sido fabricado por apenas oito anos, saiu de linha em 1986, chegou a estabelecer recorde de venda. Foi a partir o seu chassi, pouca coisa maior que o Corcel I, e as novidades em faróis amplos e lanternas maiores e envolventes, que vieram outros sucessos como Pampa, Belina e a linha Del Rey. Proposta de iluminação que chega aos modelos atuais.

Batista pai conta que entre os cuidados com o carro, estava escondê-lo sob uma capa. “Chuva de jeito nenhum!”, diz. Não chegou a viajar com o exemplar e, mesmo sua esposa sendo uma ótima motorista, não a deixou guia-lo. Mas agora o filho resolveu vendê-lo.

Para Batistinha, carro antigo é um bom negócio. Para ele o mercado cresceu muito e tem gente que se diz entendida, mas não é bem por aí. “Agora é hora de separar o joio do trigo”, define. Sempre preocupado em contextualizar o setor e explicar o mercado, vê retorno a médio e longo prazo. Quanto aos investimentos, “os veículos nacionais de baixa quilometragem devem valorizar muito nos próximos anos. Porque ainda é possível encontrar autos antigos em bom estado e originais por valores acessíveis”, dá a dica.

Agradecimentos a Luís Francisco Baptista da Auto Motor, Fernando Baptista e Daniella Trindade.



Para baixar mais fotos exclusivas deste incrível exemplar, acesse a página do Antigo Motors antigomotors.com.br.

As opiniões expressas nesta matéria são de responsabilidade de seu autor e não refletem, necessariamente, a opinião do site WebMotors.

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors