Retromobile 2007, o salão dos antigos

Salão realizado em Paris reúne preciosidades do mundo antigomobilista
  1. Home
  2. Cultura WM1
  3. Retromobile 2007, o salão dos antigos
Gustavo Ruffo
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

- Começou no dia 16 de fevereiro e vai até o dia 25 do mesmo mês o Rétromobile 2007, salão de veículos antigos que reúne em Paris preciosidades do mundos dos antigos, de motos a carros, leilões de renome e outras atrações de peso, como a coleção de carros antigos de gente famosa, como Nick Mason, baterista do Pink Floyd, a comemoração do aniversário de 50 anos do Fiat Cinquecento e dos 90 anos da BMW.

Um dos carros mais especiais do evento certamente é o Voisin C27 Aérosport foto 1, um carro que foi em sua época, e ainda é, considerado uma escultura sobre rodas. Extraordinário por si só, ele foi levado ao evento pela Fcaptionação Francesa de Veículos de Época para homenagear Gabriel Voisin, morto em 1973, com 94 anos. Amigo de Santos Dumont e um dos pioneiros da aviação ele ajudou a construir o 14 Bis, Voisin também fez história no mundo automotivo.

O C27 foi construído sobre a base do Voisin Aerodyne e tinha um motor fora do comum. Não porque tivesse seis cilindros em linha e 3 litros de capacidade cúbica, nem porque gerava 110 cv a 3.800 rpm, mas porque não tinha válvulas como as conhecemos. A admissão e exaustão do ar eram feitas por um sistema de camisas. Extremamente silencioso, esse sistema permitia que o motor girasse alto para os padrões da época. O carro chegava à máxima de 150 km/h. Único exemplar existente, ele foi apresentado no Salão de Genebra de 1935.

Não se pode acusar os franceses de bairrismo, pelo menos não no Rétromobile. Ali há três exemplares de carros raros criados pela italiana Alfa Romeo, todos com motores de oito cilindros. O primeiro deles é o Spider 8C 2300 Mille Miglia, de 1932 foto 2, com motor em linha de duplo comando de válvulas no cabeçote e dotado de compressor, capaz de desenvolver 175 cv. Chegava até a 215 km/h, velocidade espantosa para os veículos da época.

Mais chamativo que o 8C 2300, porém, é o Coupé 33 Stradale foto 3, uma das raras 18 unidades produzidas, com suas portas de abertura igual à da SLR McLaren leia mais sobre esse supercarro aqui e vidros que invadem o teto. Isso em 1967! Leve tinha cerca de 700 kg, o 33 Stradale parece um carro de rua, mas é baseado no modelo de competição 33, com motor de 1.995 cm³ de oito cilindros em V, ou “ottovu”, como dizem os italianos. A máxima chegava aos 260 km/h.

Também em 1967 surgiria um cupê mais manso, mas com motor maior e mais forte. O Montreal foto 4 foi apresentado para prestigiar a Exposição Universão de Montreal, em comemoração ao centenário da Fcaptionação Canadense. A versão de série teve 3.925 unidades produzidas, com motor V8 de 2.593 cm³ e 220 cv. Chegava a 220 km/h.

Outro exemplo de que o evento prestigiou veículos de todas as nacionalidades foi a presença do BMW M1 foto 5, mais conhecido dos brasileiros como o Pégasus, carrinho de controle remoto da Estrela que fez sucesso nos anos 1980. Presente para comemorar os 90 anos da marca alemã, o carro teve apenas 456 unidades produzidas de 1978 na 1981 e foi, até o momento, o único BMW com motor central. Aliás, que motor: um seis-cilindros em linha que produzia 277 cv e atingia 260 km/h. O desenho, apesar de o carro ser alemão, é de Giorgetto Giugiaro.

Christie’s

Num ambiente tão propício aos carros antigos, não seria de admirar que houvesse um leilão de raridades, a exemplo do que aconteceu no Arizona no começo deste ano leia mais sobre esses eventos aqui. E não foi pouca coisa, não: a responsável pela venda das jóias sobre rodas foi a Christie’s, a casa de pregões mais famosa do mundo.

Realizado nos dias 16 e 17, o leilão entregou três carros a novos donos: o Mercedes 540K Cabriolet A foto 6, o Talbot T26GS Berlinette foto 7 e o bólido de Fórmula 2 Tecno 22b foto 8.

O Mercedes-Benz 540K Cabriolet A 1936 vendido pela Christie’s por 1.221.250 euros tem duas peculiaridades importantes: a primeira é que foram feitos apenas 419 unidades deste modelo, mas este é ainda mais raro, pois era fabricado sobre a base do 500K. Iguais a ele, só houve mais nove carros, todos de 1936. A outra peculiaridade é que este modelo, especificamente, só teve um dono desde que saiu da fábrica.

Para um carro com pouco mais de 70 anos, o 540K ainda hoje impressiona: seu motor de 180 cv, com compressor, era um oito-cilindros em linha de 5.401 cm³, capaz de levá-lo à máxima de 170 km/h. Sofisticado, o carro tinha suspensão independente nas quatro rodas. Os freios eram a tambor, mas não pense que isso era ruim. Freios nas quatro rodas, como os dele, eram o que havia de melhor!

O Talbot saiu mais baratinho, 152.750 euros, mas ele não é menos raro. Com motor de seis cilindros em linha e 4.482 cm³, 190 cv a 4.200 rpm e câmbio manual de quatro marchas com pré-seletor, o carro tinha carroceria única. Em comum com seus outros “irmãos”, ele tinha apenas o chassi, dos quais foram fabricados apenas 36.

O Tecno 22b era usado na Fórmula 2 e tinha, apesar do motor de 1.594 cm³, 225 cv a 9.000 rpm, com turbo, como seria de esperar para sua aplicação. Fabricado em 1971, o bólido saiu por 41.125 euros.

Prata da casa

O fato de valorizar as obras de outros países europeus não faz com que os franceses se esqueçam de sua própria riqueza cultural. Prova disso é a presença de diversos carros importantes para a indústria daquele país, especialmente modelos da Citroën.

Quando falamos em Citroën C6, por exemplo, pode parecer que nos referimos ao novo topo de linha da marca, lançado há pouco tempo no Brasil, mas não é bem isso, pelo menos não em se tratando de Rétromobile. Neste salão o modelo presente foto 9 era o lançado em 1928, com motor de seis cilindros, o primeiro que a marca fabricou, com 2.442 cm³ de capacidade. A velocidade máxima era de 105 km/h e ele tinha 11 opções de carroceria, 5 abertas e 6 fechadas. Era o modelo mais sofisticado da marca naqueles anos e teve uma produção expressiva: 61.280 unidades, de 1928 a 1932.

Para substituí-lo, a Citroën apresentou o Rosalie fotos 10 e 11, que comemorou 75 anos nesta edição do Rétromobile. Havia modelos para cada “potência”, tratada diferentemente do ponto de vista de recolhimento de impostos: 8 cv, 10 cv e 15 cv todos com seis cilindros. O modelo exposto no Rétromobile é um raríssimo Coupé De Ville, que teve apenas três unidades construídas. Esta, inclusive, passou por um extenso processo de restauração. Nas fotos 10 e 11 nota-se a transformação e a recuperação impecável do passado, excelentes imagens de “antes” e “depois”.

Outro simpático Citroën exibido é o Dyane foto 12, que comemorou 40 anos no evento. Baseado no famosíssimo 2 CV, o carrinho trazia diversos melhoramentos, como área envidraçada maior, faróis mais modernos, pára-choques em inox e o motor do Ami 6, de 602 cm³. Produzido até 1984, ele teve 1.443.583 unidades produzidas.

Igualmente popular, o Fiat Cinquecento foto 13 festejou seus 50 anos no Rétromobile. O projeto coube a Dante Giacosa, que precisava criar um carro robusto e simples. O resultado foi o carrinho mais famoso da marca, tão amado que terá uma versão moderna lançada em breve seu desenvolvimento está sendo feito de forma interativa, com a ajuda do público, pelo site www.fiat500.com.

Com motor bicilíndrico refrigerado a ar e instalado na traseira, com 479 cm³, o “urbanino” chegava à máxima de 90 km/h e teve modelos nervosos, como o Abarth, que ganhou motor bem mais forte, 1,3 litro, considerado uma das carros mais gostosos de dirigir do mundo especialmente em trechos sinuosos, onde veículos mais potentes não levavam muita vantagem. A produção, em 18 anos, chegou a 3,678 milhões de unidades.

Nick Mason

Além das comemorações, a apresentação da coleção de Nick Mason, baterista do Pink Floyd, fez os fãs de carros vibrarem. Afinal de contas, o McLaren F1 foto 14 não pode ainda ser considerado um antigo, mas é clássico desde que saiu da linha de montagem entenda a diferença entre clássico e antigo aqui.

Com motor V12 6,1-litros da BMW, ele foi, até 2005, o carro mais veloz do mundo, com a marca de 386,5 km/h de máxima. Com três lugares, sendo o do motorista no centro do carro, ele marcou época e tinha extravagâncias, como o uso de ouro no compartimento do motor.

Outra das muitas jóias de Mason é o Ferrari 250 GTO foto 15. Considerada o melhor carro da marca em todos os tempos, com apenas 39 unidades produzidas, o 250 GTO inspirou uma legião de outros esportivos com seu estilo agressivo. O motor 3-litros V12 de 302 cv a 7.500 rpm era instalado na dianteira e levava o Ferrari a 279 km/h de máxima. Hoje não se compra um por menos de R$ 20 milhões! Isso se o dono quiser vender, o que é difícil.

Como os franceses também fazem carros fortes, e não querem deixar de dizer isso aos visitantes do Rétromobile, a Peugeot levou seus modelos de competição, como o 905 foto 16, que correu em Le Mans e venceu as edições de 1992 e 1993. Criado em 1989, ele pesava meros 750 kg e tinha motor V10 de 3.499 cm³ 670 cv. Sua versão mais rápida chegava a 351 km/h, o que mostra, de novo, porque o McLaren F1 é um carro de rua ainda hoje sensacional.

Motos

Como as motos também tiveram espaço no Rétromobile, e o pioneiro nas motos foi um francês, Louis Guillaume Perreaux, o primeiro veículo motorizado sobre duas rodas também está no evento. Criada em 26 de dezembro de 1868, a moto de Perreaux tinha motor a vapor, estrutura tubular, motor no quatro e transmissão na roda traseira por corrente. Não fosse pelo vapor, poderia até ser considerada uma moto moderna.Além da pioneira, também está presente a Dollar V4 foto 17, francesa, de 1933. Com chassi com elementos estruturais triangulares, incomum em motos da época, mas freqüente em aeronaves, por conta de seu baixo peso, a moto tinha 22 cv a 4.000 rpm e era das mais nervosas daquele tempo. Não fosse a Segunda Guerra Mundial, talvez essa fosse uma das marcas de moto de alto desempenho mais conhecidas do mundo, mas a Dollar fechou as portas em 1939.

Outras preciosidades são a Autocyclette 1903 foto 18, bicilíndrica, construída para competições por Derny Clément, e o triciclo De Dion 1899 foto 19, entre outros modelos históricos. O nome do evento, no fim das contas, tem a abrangência que tem de propósito. Mais “mobile” que uma moto, hoje em dia, impossível!

Gosta de antigos raros?

Então veja abaixo as ofertas de preciosidades no WebMotors:

Mercedes-Benz 280 S

BMW 2002

Dacon Pag Nick

Dardo

MG MGB GT

Porsche Kremer

Leia também:

Novo Uirapuru: o retorno de um mito

Farus Quadro

Chevette GP II

Antigo com cheiro de novo

Passat TS, ídolo de uma geração

________________________________

Receba as notícias mais quentes e boletins de manutenção de seu carro. Clique aqui e cadastre-se na Agenda do Carro!
_______________________________
E-mail: Comente esta matéria

Envie essa matéria para uma amigoa

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors