Família EcoBoost chega para tentar aposentar o V8

Com motores sobrealimentados e com injeção direta de combustível, Ford procura inovar no mercado de utilitários
  1. Home
  2. Bolso
  3. Família EcoBoost chega para tentar aposentar o V8
Rodrigo Samy
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

- A Ford anunciou às vésperas do Salão de Detroit uma nova tecnologia de motores denominada de EcoBoost . De acordo com a empresa, a inovação representa uma economia de combustível em torno de 20%.

A família EcoBoost será composta por motores a gasolina de 4 cilindros em linha e 6 cilindros em “V” com alimentação forçada por turbocompressor. Outra tecnologia incorporada aos propulsores é o sistema de injeção direta de combustível, que garante maior economia e desempenho eficiente.

O motor V6 de 3,5 litros tem potência maior que a de um V8 utilizado atualmente pela marca. São 340 cv de potência e um torque de 48,3 kgm para o motor V6 EcoBoost, contra 270 cv e 35,7 kgm do V8 4,6-litros sem a tecnologia. Mas o grande atrativo está na poluição ou falta dela. O novo propulsor registra 15% a menos de emissões de CO², em comparação a versão antiga. Já o 4-cilindros de 2,0 litros tem 275 cv e torque de 43,7 kgm.

A corrida pela injeção direta

A Ford não é a primeira fabricante a aderir à tecnologia de injeção direta. A Audi lançou o sistema FSI Fuel Stratified Injection ou Injeção de Combustível Estratificada em 2007.

Assim como nos motores a diesel, os injetores de gasolina ficam nas câmaras de combustão e não mais no coletor. Porém, ao contrário dos motores a diesel, a pressão do combustível chega só a 100 bar de pressão. Para ter idéia, os propulsores a diesel trabalham com uma pressão de até 1.600 bar.

O sistema de injeção direta em motores a gasolina permite economia de combustível, pois a quantidade “pulverizada” é menor e mais pura em relação aos sistemas convencionais, com bicos injetores localizados no coletor de admissão.

Os números obtidos com modelos que utilizam a tecnologia são animadores. É possível economizar aproximadamente 5% de combustível e atingir cerca de 10% a mais de desempenho em comparação com um motor idêntico, equipado com um sistema convencional de injeção. As respostas ao acelerador são mais rápidas e precisas e o torque em baixas rotações é maior.

A própria Ford já mostrou o sistema aplicado em um Lincoln MKR equipado com motor V6 3.5 litros, compressor mecânico e potência de V8. Eram 421 cv e 56,3 kgm de torque.

Gosta de carros turbinados?

Então veja aqui no WebMotors as melhores ofertas para esse segmento:

Gol 1.0 16V Turbo

Fiat Uno Turbo

Fiesta Supercharger

Fiesta Supercharger

Leia também:

Tudo sobre compressores e turbinas

Ford Explorer America mostra novos motores

Fiat Uno Turbo

Porsche 911 Turbo Cabriolet

BMW volta ao turbo

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors