Picape elétrica Ford F-150 Lightning é lançada

Modelo é apresentado nos Estados Unidos com capacidade de carga de mais de 900 kg e potência total de 571 cv

  1. Home
  2. Últimas notícias
  3. Picape elétrica Ford F-150 Lightning é lançada
Fernando Miragaya
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

Depois de dar pinta em pronunciamento do presidente estadunidense Joe Biden, a F-150 Lightning é apresentada formalmente no mercado norte-americano. A picape elétrica da Ford mantém boa carga útil e oferece desempenho impressionante, predicados fundamentais para o segmento em que atua.

Ford F-150 Lightning
Ford F-150 Lightning, a picape elétrica estreia oficialmente no mercado norte-americano
Crédito: Divulgação

Veículo mais vendido nos Estados Unidos, a F-150 tem como principal característica sua versatilidade. É voltada para um público que busca um veículo robusto, espaçoso e funcional tanto para o lazer, mas especialmente para o trabalho. Por isso, a picape elétrica oferece carga útil de até 907 kg e capacidade de reboque de mais de 4,5 toneladas.

Além disso, os dois motores elétricos geram 571 cv e 106 kgf.m de torque máximo. Desta forma, a F-150 Lightning cumpre o 0 a 100 km/h em pouco mais de 4 segundos. O modelo ainda oferece quatro modos de condução: normal, econômico, esportivo e off-road.

Autonomia

Ford F-150 Lightning
Picape tem boa capacidade de carga e é voltada especialmente para o uso no trabalho
Crédito: Divulgação

Com baterias convencionais, a F-150 Lightning promete alcance de até 370 km pelos padrões da EPA, a agência de proteção ambiental dos EUA. Com a autonomia estendida, a picape elétrica consegue rodar até 482 km com uma carga completa.

De acordo com o fabricante, as baterias podem ser completadas em carregadores residenciais em até 8 horas. Já em um dos mais de 63 mil pontos de recarga rápida espalhados pelos EUA, a promessa é de 80% da bateria carregada em apenas 41 minutos.

Outra funcionalidade do conjunto é a chamada energia bidirecional., Desta forma, as baterias da picape elétrica podem abastecer residências, canteiros de obras e acampamentos, por exemplo.

Engate autônomo

Ford F-150 Lightning
Energia armazenada na picape elétrica também pode abastecer canteiros de obras
Crédito: Divulgação

Entre os recursos interessantes dentro desta proposta de versatilidade, a picape elétrica tem sensores que funcionam como balanças para dar uma estimativa ao motorista sobre o peso da carga que é transportada. Outro item é o Pro Trailer Hitch Assist, que controla automaticamente direção, aceleração e freio no momento do engate de reboques.

Por falar em dispositivos autônomos, a F-150 é equipada com os sistemas de auxílio ao motorista Co-Pilot360 e BlueCruise. Entre os itens, controle de cruzeiro adaptativo, frenagem automática de emergência, assistente ativo de permanência em faixa, sensor de ponto cego, entre outros.

Segundo a Ford, a picape elétrica pode percorrer, de forma autônoma, mais de 160 mil km de rodovias habilitadas nos Estados Unidos e no Canadá.

Tela quente

Ford F-150 Lightning
Olha isso! Tela do sistema multimídia Sync 4 da F-150 elétrica tem 15,5 polegadas
Crédito: Divulgação

Entre os equipamentos, destaque ainda para o quadro de instrumentos eletrônico e a central multimídia que é um verdadeiro tablet. Disposta na vertical, a tela de generosas 15,5 polegadas agrega o sistema Sync 4.

O modelo ainda oferece outras conveniências para quem vai usar a picape elétrica na labuta. Como os motores estão abaixo do chassi, sob o capô há um "porta-malas" de 400 litros. Na cabine, o console central serve como uma pequena mesinha. E a tampa da caçamba, quando aberta, se transforma em uma bancada para o trabalho, com trena, suporte para celular, porta-canetas e carregador.

No Brasil...

F-150 Lightning deve demorar para vir para o nosso país e será um produto de nicho de mercado
Crédito: Divulgação

A F-150 elétrica pode até vir para o Brasil, mas só lá para 2023 para ser um produto bem de nicho. Antes disso, o mercado brasileiro ainda vai receber as versões normais da picape ainda este ano no Brasil, conforme o WM1 já noticiou.

Comentários