Fiat e Peugeot se juntam em gigante automotiva

Grupos FCA e PSA oficializam fusão que dará origem ao quarto maior fabricante de automóveis do mundo, com 13 marcas

  1. Home
  2. Pit-Stop
  3. Fiat e Peugeot se juntam em gigante automotiva
Fernando Miragaya
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

A Fiat Chrysler Automobiles (FCA) e a PSA Peugeot Citroën acabam de selar oficialmente a fusão que agitou a indústria nos últimos meses. O acordo resultará no quarto maior grupo automotivo do mundo em vendas e no terceiro, em termos de faturamento.

A união dos dois gigantes do setor prevê compartilhamento de plataformas, desenvolvimento conjunto de novos produtos, motores e tecnologias, eletrificação e otimização da capacidade de investimento, entre outros. Tudo, claro, com otimização de recursos e redução de custos.

A previsão é que as primeiras plataformas compartilhadas representem cerca de 3 milhões de veículos anuais - quase ⅓ da produção conjunta. O investimento será principalmente em arquiteturas de automóveis subcompactos, compactos e médios. A economia estimada com a sinergia a longo prazo é de 40%.

A nova empresa também surge estrategicamente distribuída no mercado global. A FCA tem força no continente americano, principalmente nos Estados Unidos. Enquanto a PSA é consolidada na Europa.

Grupo poderoso

Com base nos números de 2018, 46% da receita proveniente da FCA-PSA vem do mercado europeu. Outros 43% são provenientes da América do Norte.

Os presidentes da da PSA, à esquerda, e da FCA, à direita, se cumprimentam durante assinatura do acordo que juntará os dois grupos automotivos
icon photo
Legenda: Carlos Tavares, da PSA, e Mike Manley, da FCA, selam o acordo da nova empresa
Crédito: Divulgação

Os dois fabricantes venderam 8,7 milhões de veículos no ano passado, com receita de quase € 170 bilhões (mais de R$ 770 bilhões) e lucro operacional recorrente de mais de € 11 bilhões (cerca de R$ 50 bilhões).

Marcas variadas

A nova empresa terá marcas variadas. Do lado da FCA, Fiat, Alfa Romeo, Lancia, Maserati, Chrysler, Jeep, Dodge e RAM. Da parte da PSA, Peugeot, Citroën, Opel, Vauxhall e DS. Ainda há as divisões da FCA, como Abarth, SRT e Mopar.

“Nossa fusão é uma grande oportunidade de assumir uma posição mais forte na indústria automobilística”, disse Carlos Tavares, presidente do Conselho de Administração da PSA.

“Esta é uma união de duas empresas com marcas incríveis e uma força de trabalho qualificada e dedicada", afirmou Mike Manley, CEO da FCA.

A nova empresa terá sede na Holanda. A conclusão da fusão deve ocorrer em um período de 12 a 15 meses.

Comentários