Saiba que as motos são mais estáveis na curva

Em primeiro lugar é preciso entender de uma vez por todas que moto não é um carro de duas rodas
  1. Home
  2. Pit-Stop
  3. Saiba que as motos são mais estáveis na curva
Geraldo Simões
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon


Um dos depoimentos mais comuns de ouvir dos novos motociclistas é o medo de inclinar nas curvas. É um medo totalmente normal, já que as motos inclinam e se aproximam do solo, vencendo a força da gravidade. Esse receio vem dos tempos de bicicleta e os memoráveis tombos que deixaram marcas em muitos joelhos. A bicicleta é potencialmente instável pela pouca área de contato dos pneus com o solo e a falta de um motor que pode safar o condutor de várias situações de queda.



Na moto temos a vantagem de pneus muito mais largos e o motor que proporciona rotação nos momentos mais precisos. Independentemente do tipo, tamanho e potência da moto, o que comanda a estabilidade nas curvas começa pelos pneus e passa pela aceleração. Claro que tudo controlado pelo piloto.



Em primeiro lugar é preciso entender de uma vez por todas que moto não é um carro de duas rodas e nem tudo que funciona nos carros dá certo nas motos. E nos pneus estão as maiores diferenças entre estes dois veículos. Os pneus dos carros tem a banda de rodagem plana e – se estiver calibrado corretamente – toda a banda encosta no asfalto, seja nas retas ou nas curvas.



Já nas motos os pneus tem a banda de rodagem convexa e apenas o centro da banda (cerca de 20% no traseiro e 10% no dianteiro, dependendo do modelo) toca o solo quando a moto está em linha reta. Se dividirmos o pneu na metade, o resultado é teremos muito mais área de contato no solo quando a moto estiver inclinada do que quando está em linha reta! Portanto, se for para ter medo, que seja da reta e não das curvas.



Além disso, o formato da banda de rodagem é feito de forma a “avisar” quando o limite de inclinação está perto. É como se uma força invisível empurrasse a moto de volta para a posição vertical. É importante manter os pneus sempre em bom estado para que essa característica seja bem sensível.



Não é só isso. Ao inclinar a moto em curva o pneu sofre uma deformação que aumenta ainda mais a área de borracha em contato com o solo. Especialmente o pneu traseiro, que é o responsável pela estabilidade da moto em curvas. O pneu dianteiro só dá a direção.



Curva passo a passo

1) O primeiro passo é reduzir ou acertar a velocidade de entrada na curva. O ideal é frear e reduzir a marcha ainda com a moto “em pé” e só depois começar a inclinar.



2) Com a marcha engatada, o piloto inclina a moto até sentir que os pneus estão com aderência. Inclinar muito não é sinal de velocidade, pode-se fazer uma curva com boa velocidade sem inclinar demais a moto. Mas é vital manter uma rotação constante e jamais entrar na curva com a embreagem acionada. Lembre que a rotação pode ser crescente (aceleração) ou decrescente (desaceleração), só não pode estar em marcha-lenta.



3) Se precisar reduzir a velocidade na curva primeiro desacelere, se não for suficiente uso o freio TRASEIRO de leve, jamais o dianteiro porque a moto “levanta” e segue reto na curva. Nas motos com freio ABS combinado a central eletrônica é capaz de detectar o grau de inclinação e comandar a quantidade de frenagem em cada roda.



4) Do meio da curva para o fim já se pode voltar a acelerar, sempre gradual. Nunca gire o acelerador de uma vez com a moto inclinada. Tem de ser suave e gradualmente.



5) Quando a moto já estiver quase na vertical aí sim pode-se abrir o acelerador com segurança.



Isso demanda treino e serve para todos os tipos de motos. Obviamente que nas motos esportivas o desempenho em curvas é superior ao de uma custom. Geralmente as motos custom são limitadas porque são baixas e as pedaleiras ficam próximas ao asfalto. Se inclinar um pouco a mais elas raspam no asfalto. Independentemente do tipo de moto, se a pedaleira tocar no asfalto pare de inclinar.



Aquele fetiche que a maioria dos donos de motos esportivas alimentam por tocar os joelhos nas curvas é uma grande inutilidade. Isso não significa que o piloto está rápido, mas só o quanto ele consegue tirar o corpo de cima da moto. Na tentativa desesperada de encostar os joelhos no asfalto o piloto pode acabar ralando o corpo todo!



Não tente inclinar tanto nas estradas porque pode ser surpreendido por algum obstáculo e o desvio nesta condição é muito mais difícil.

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors