Honda revela, enfim, a nova geração do Fit

Monovolume é lançado no Salão de Tóquio com desenho arredondado e inédita versão híbrida com dois motores elétricos

  1. Home
  2. Salões
  3. Honda revela, enfim, a nova geração do Fit
Marcelo Monegato
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

Depois de flagras e muita especulação, a Honda finalmente mostra o novo Fit. WM1 acompanhou ao vivo a apresentação da quarta geração do monovolume diretamente do Salão de Tóquio. O modelo ganhou versão híbrida e é esperado para o Brasil no início de 2021.

O Fit será o primeiro compacto da marca japonesa a ter configuração híbrida. O sistema e:HEV usa dois motores elétricos e um a combustão - os valores de potência não foram divulgados.

O grande barato do novo Fit híbrido é que não há transmissão, com o torque total imediato enviado para as rodas na primeira aceleração. Esta arquitetura híbrida servirá a outros futuros modelos da marca.

icon photo
Legenda: Traseira da quarta geração do Fit tem lanternas maiores e mais horizontalizadas
Crédito: Marcelo Monegato/WM1

Pilares de conforto

A Honda diz que buscou "valor emocional" para desenvolver o novo Fit. E que se baseou em "quatro dimensões de conforto" para esta quarta geração do compacto - um destes pilares é o próprio conjunto híbrido.

A proposta de nome garboso segue pela visibilidade, graças a um para-brisa maior e com colunas frontais mais estreitas. Segundo o fabricante, reforços estruturais nestas colunas garantem a deformação em caso de acidente e a proteção dos ocupantes.

O conforto de dirigir passa também pelo novo quadro de instrumentos, bastante enxuto. Uma tela com velocímetro digital e outras informações é margeada por indicadores analógicos.

icon photo
Legenda: Quadro de instrumentos é claro e objetivo, com uma tela e alguns mostradores analógicos
Crédito: Reprodução

Os bancos são a "dimensão" seguinte do conforto. Trata-se do primeiro modelo da Honda a adotar esse tipo de assento que, de acordo com a marca, molda melhor o corpo do passageiro e traz abas mais firmes. Esses bancos serão aplicados em sedãs maiores da montadora.

A usabilidade é o quarto pilar desta proposta de conforto do monovolume. E nos carros apresentados no motorshow japonês é possível constatar que o espaço interno continua generoso e muito bem aproveitado. A modularidade dos bancos, um dos destaques desde o primeiro Fit, também se mantém como um diferencial nesta nova geração.

Os sistemas de auxílio ao motorista não poderiam ficar de fora do novo Fit. O modelo adota o Honda Sensing, que inclui frenagem automática de emergência e câmera frontal, entre outros dispositivos.

icon photo
Legenda: Monovolume abriu mão dos vincos e ganhou contornos mais arredondados na carroceria
Crédito: Marcelo Monegato/WM1

Design

Em estilo, o Fit mudou bastante. No lugar dos muitos vincos pela carroceria e faróis angulosos que lembram um anime japonês, o carro agora abusa dos contornos mais arredondados.

Os faróis continuam com lentes projetadas, mas têm um estilo mais trapezoidal com contornos suavizados. A  entrada de ar frontal que faria as vezes de grade é um filete que interliga o conjunto ótico. Lembra até aquela tartaruga do desenho "Os Sem-Floresta".

Atrás, as lanternas estão mais horizontais e maiores, com um filete duplo de leds inferiores. A tampa do porta-malas aparenta estar maior, assim como o vidro traseiro.

Quando vai para o Brasil?

O Fit chegará ao mercado japonês em março de 2020 em cinco versões de acabamento. Para o Brasil, a Honda diz que não há planos de fabricar o compacto. Porém, fontes ligadas à marca dizem que o renovado monovolume ganhará cidadania nacional no primeiro trimestre de 2021.

Ofertas do Fit

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors