Presidente da Abeiva quer “esquecer” 2002

Importadores consideram segundo semestre do ano pior desde 1990 o
  1. Home
  2. Bolso
  3. Presidente da Abeiva quer “esquecer” 2002
Redação WM1
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

- A persistência da alta do dólar ao longo do mês de outubro e o ambiente eleitoral fizeram desabar, pelo terceiro mês consecutivo, as vendas de carros importados no atacado das empresas filiadas a Abeiva, Associação Brasileira das Empresas Importadoras de Veículos Automotores.

Segundo André Muller Carioba, presidente da entidade, depois de ter registrado em agosto queda de 34,42% em relação ao mês anterior, as oito empresas associadas registraram em setembro nova queda, de 13,8%, em relação a agosto, e, em outubro, queda novamente, de 10,4%, em relação a setembro.

O executivo lembra ainda que os números do setor de importação como um todo apresentaram queda ainda maior. No geral, incluindo tanto as empresas importadoras filiadas à Abeiva quanto as que não fazem parte da entidade, o setor importou, em outubro, 7.383 unidades, apontando queda de 38,77% em relação aos 12.057 veiculos importados em outubro de 2001, o que faz prever o desempenho de 2002 como o pior de todos, desde a abertura das importações, em 1990.

Para amenizar a situação, a entidade tem-se reunido com integrantes do atual governo e preparando-se para iniciar contatos com a equipe de transição do presidente eleito, para estudar alternativas para recompor o setor.

No ranking da Abeiva, em outubro, por marca, a Kia Motors apresentou o melhor desempenho nas vendas, comercializando, no atacado, 315 unidades, seguida pela BMW, com 71 unidades, e pela Suzuki, com 56 veículos comercializados. Por modelo, a Kia Besta ficou em primeiro, com 158 veículos vendidos, seguida pelo Kia Sportage, com 107, pelo Suzuki Grand Vitara, com 56, pelo BMW Serie 3, 32, e Kia Bongo, com 30 unidades vendidas.

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors