BMW F 800 GS Adventure é feita para longas viagens

Maxitrail de média cilindrada recebeu modificações para ficar mais confortável e apta para aventuras em qualquer tipo de terreno
  1. Home
  2. Motos
  3. BMW F 800 GS Adventure é feita para longas viagens
Agência Infomoto
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon


A BMW Motorrad vem produzindo motocicletas “aventureiras” por mais de três décadas. Sua última novidade no segmento, a BMW F 800 GS Adventure – que foi apresentada no Brasil durante o Salão Duas Rodas 2013 – segue a tradição da marca alemã em fazer motocicletas capazes de superar longas distâncias e terrenos irregulares, mas com ainda mais eficiência. E o que realmente quer dizer a palavra “Adventure”, adicionada a mais recente versão da maxitrail F 800 GS? Erroneamente, muitos, assim como eu, pensam que o “Adventure” faz alusão somente a uma maior capacidade off-road da motocicleta. Mas não é só isso. Ela também oferece mais conforto ao piloto e passageiro em longas viagens se comparada ao modelo standard.

 

Para isso, a BMW F 800GS ADV recebeu diversas modificações e traz um “pacote” de acessórios de série.  Ganhou um tanque de combustível maior – que fica embaixo do banco –, passando de 16 litros na versão standard para 24 litros na Adventure, o que aumenta a autonomia da motocicleta. O parabrisa mais alto protege ainda mais o piloto do vento e das adversidades do ambiente, e o radiador é envolto por novas e maiores carenagens laterais em plástico duro. Um banco de dois níveis, com espuma mais macia, mantém o piloto e o garupa confortáveis por mais tempo em longas viagens. A F 800 GS Adventure ainda recebeu diversos equipamentos para a proteção do condutor e da própria motocicleta: na parte dianteira, barras de ferro protegem motor e pernas; na parte traseira, o suporte para os bagageiros serve como proteção para o tanque de combustível; e protetores de mão são muito úteis nas rodovias e estradas de terra. Há ainda aquecedor de manopla, que não pudemos utilizar, já que janeiro de 2014 marcou as maiores temperaturas na cidade de São Paulo dos últimos 71 anos, e faróis de apoio (milha) em luzes LED.

 

Embora tenha ganhado todos esses mimos, a principal adição foram os dois modos de controle de tração (ASC) e ABS. O modo “Road” mantém o funcionamento dos equipamentos no nível mais alto, enquanto o “Enduro” ajusta a atuação de ambos para uma pilotagem off-road com mais segurança. A versão Adventure da BMW F 800 GS, nacionalizada, está disponível nas concessionárias da marca por R$ 47.900 nas cores vermelha e bege. As malas laterais e o top case equipados na unidade testada por nós são acessórios opcionais originais da marca.

 

Motor

Sob o novo e robusto exterior, quase tudo da F 800 GS Adventure é idêntico à versão standard. O mesmo motor DOHC (duplo comando de válvuas no cabeçote) de dois cilindros paralelos e 798cm³ com arrefecimento líquido tem um comportamento suave, com força para todas as condições de pilotagem. “Torcuda”, a BMW F 800 GS atinge o pico de sua força (8,4 kgf.m) logo aos 5.750 giros e seu propulsor é capaz de produzir 85 cavalos de potência máxima as 7.500 rpm.

 

Por preferir rodar a baixos e médios giros, o desempenho do motor da 800 Adventure na estrada é bom, mas não excepcional. Quando se está rodando próximo ao limite do conta giros, dá uma sensação de que falta um pouco de “força final” à essa BMW. Já fora da estrada, onde o piloto tem que manter o propulsor a baixas e médias rotações para conseguir transpor os obstáculos encontrados pela frente, o caso é outro. Parece que a moto “sobra”, com torque e potência sempre disponíveis. Uma característica desse motor é sua vibração, que acima dos 5.000 giros aparece para não abandonar mais o condutor. Não é uma vibração forte, mas é persistente e pode incomodar depois de muitas horas sobre a motocicleta.

 

Ciclística e comportamento

A F 800 GS Adventure foi projetada para encarar longas viagens oferecendo muito mais conforto à seus ocupantes que a versão standard. Ela traz o mesmo quadro de aço tubular e a proporciona a mesma posição de pilotagem, com uma diferença. Mais conforto. A principal causa disso é o novo banco, em dois níveis e com espuma mais macia. O novo tanque de combustível também ajuda no quesito conforto, já que ganhou oito litros a mais de capacidade. Durante nosso teste, a F 800 GS Adventure fez uma média de 16,7 km/l. Dessa forma, a autonomia do novo reservatório é maior, chegando a 400,8 km.

 

A maxitrail de média cilindrada da marca bávara conta com um sistema de freios de ótimo poder. São dois discos dianteiros de 300 mm de diâmetro mordidos por pinça flutuante Brembo de dois pistões na dianteira e disco simples de 265 mm, acionado por pinça de um pistão. Além disso, a sensibilidade do ABS ficou melhor, principalmente no tato do pedal do freio traseiro.

 

O conjunto de suspensão, formado por garfo telescópico invertido com tubos de 43 mm de diâmetro na dianteira e monoamortecedor traseiro centralizado, faz um ótimo trabalho, tanto no asfalto, quanto fora dele. Para melhor atender sua proposta de encarar longas viagens, há regulagem da pré-carga de mola na suspensão traseira via roldana. Basta girar a “maçaneta” para configurar uma atuação mais macia ou mais firme. O comportamento é progressivo e preciso. Apenas um ponto negativo: não há nenhum tipo de ajuste no conjunto dianteiro. O modo como sai configurado de fábrica é mais voltado para o conforto em viagens, que para o desempenho “esportivo”. É o mesmo conjunto encontrado em sua irmã mais convencional.

 

Nas curvas, o cavalete central raspou no asfalto diversas vezes, principalmente nas mais fechadas, onde o ângulo de inclinação é maior. Pode ser um problema pontual dessa unidade, ou uma falha da “Adventure”. De qualquer modo, isso pode assustar o condutor e transformar uma situação segura em um risco.

 

Diversão fora da estrada

Apesar de ser robusta e peso em ordem de marcha de 229 kg, o chassi da F 800 GS Adventure funciona muito bem também na terra. Ela carrega seu peso de maneira surpreendente, ficando mais leve conforme a velocidade aumenta. Somente nos trechos off-road mais travados, onde era necessário andar em baixa ou baixíssima velocidade (trechos de até 20 km/h), ela mostrava todo seu peso.

 

No off-road, nunca fui muito fã de auxílios eletrônicos para o piloto. Porém, o controle de tração (ASC) e o ABS no modo “Enduro”, me surpreenderam. Eles estão lá, prontos para atuarem, mas de maneira menos “agressiva” que no modo “Road” e permitem uma pilotagem mais radical na terra. O condutor consegue até dar aquela “escorregada” de traseira na entrada e saída das curvas, mas com muito mais controle e confiança para transpor qualquer obstáculo. A única vez que foi necessário desligar o sistema foi em um trecho mais travado, em subida e com pedras soltas, onde o controle de tração não deixava o pneu traseiro “cavar” sua saída das pedras.

 

A larga pedaleira apresenta um problema quando se encara o fora de estrada. Para retirar a borracha o piloto precisa de ferramentas, já que essa está parafusada na pedaleira. Dessa forma, fica muito fácil escorregar o pé e perder o equilíbrio da máquina ao passar por poças d’água e lamaçais. Mesmo assim, a capacidade de enfrentar os obstáculos e imprevistos dos trajetos off-road da F 800 GS Adventure é imensa. Se fosse equipada com pneus cravados, próprio para a utilização fora da estrada, seria ainda melhor e deixaria muita moto comendo poeira. Os calçados escolhidos pela BMW para equiparem a F 800 GS Adventure são os pneus Pirelli Scorpion Trail, de medidas 90/90 aro 21 na dianteira e 150/70 aro 17 na traseira.

 

Conclusão e mercado

Para aqueles que procuram uma motocicleta aventureira de média cilindrada que é versátil, mais confortável e com maior autonomia – além de uma capacidade off-road de dar inveja – que a maioria de suas concorrentes, a nova BMW F 800 GS Adventure é uma escolha ainda melhor que a versão standard já era. Além disso, o motor da 800 é um dos melhores da categoria para explorar trechos off-road e terrenos acidentados.

 

No mercado, ela encontra apenas duas concorrentes diretas e é a mais cara entre todas. A também britânica Triumph Tiger 800 XC carrega ABS de série, tem preço mais em conta (R$ 39.900,00) e, assim como a BMW, perfil aventureiro capaz de enfrentar trechos off-road, mas não conta com controle de tração e mapas de motor. A Yamaha tem em sua linha a Ténéré 660, oferecida a R$ 29.920, mas tem motor monocilíndrico, não conta com ABS e nem com controle de tração. 

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors