Suzuki Hayabusa GSX 1300R 2009 chega oficialmente ao Brasil

J.Toledo traz nova GSX-1300R com motor maior - de 1.340 cm³- e tecnologia de ponta para manter o reinado entre as motos mais rápidas do planeta
  1. Home
  2. Motos
  3. Suzuki Hayabusa GSX 1300R 2009 chega oficialmente ao Brasil
Auto Informe
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

- Desde seu lançamento, em 1999, a Suzuki Hayabusa GSX-1300R fez história por ultrapassar a barreira dos 300 km/h. Lançada na Europa no ano passado, a versão 2008 da cultuada superesportiva com diversas modificações e tecnologia de ponta chega agora oficialmente ao país.

Alguns importadores independentes já disponibilizavam o modelo, geralmente importado dos Estados Unidos, mas a J.Toledo/Suzuki da Amazônia alerta aos consumidores mais afoitos que compraram estas unidades: além de não estarem “tropicalizadas”, ou seja, adaptadas a nosso combustível com uma porcentagem de álcool, essas motos não estão cobertas pela garantia de fábrica.

A nova Hayabusa já pode ser encontrada nas concessionárias autorizadas Suzuki nas cores laranja, branca, azul e preta, a um preço sugerido de R$ 61,2 mil.

Mudanças

O motor da Hayabusa ficou maior. Passou dos antigos 1.299 cm³ para 1.340 cm³. O propulsor de quatro cilindros em linha, 16 válvulas, DOHC, teve as câmaras de combustão redesenhadas para aumentar em 11% a eficiência na queima da mistura. Sem falar no novo sistema de alimentação, com dois bicos injetores por cilindro. As válvulas e os cilindros também mudaram, resultando em uma taxa de compressão maior: 12,5:1. Agora a potência máxima já foi divulgada: 197 cv – um aumento de 25 cv em relação ao modelo anterior, que tinha 172 cv.

Outra grande novidade foi a adoção do Suzuki Drive Mode Selector S-DMS. Trata-se de um seletor do modo de funcionamento do motor, que controla diversas funções. Há três opções: no modo “A” o motor trabalha com força total e entrega toda a potência; no “B”, a entrega de potência é diminuída em baixas rotações, ideal para circuitos travados; já no modo “C” mantém pouca potência em médios e baixos regimes, mas o motor pára de entregar mais potência acima das 8.000 rpm, bastante útil em piso molhado. É o mesmo sistema utilizado nas motos de competição e que também já equipa a Suzuki GSX-R 1000 K7.

No drivetrain há ainda um câmbio de seis marchas. Em conjunto foi instalada uma embreagem “anti-travamento” com limitador de torque para suavizar os trancos na redução de marchas.

Visual e ciclística

A Suzuki têm se mostrado eficiente na atualização de seus modelos, sem deixar de lado a identidade de cada um deles. Na Hayabusa não foi diferente, já que o design que a consagrou se manteve, porém parece mais moderno. O farol continua uma peça única, mas com desenho renovado. A carenagem ganhou novas entradas de ar e um coeficiente de atrito menor para melhorar a penetração aerodinâmica. Para isso o tanque também foi posicionado mais para baixo, para permitir ao piloto se esconder atrás da bolha.

Na traseira, as setas estão embutidas e a lanterna mudou. Chamam a atenção também os dois novos escapes. Perderam os cromados e ganharam uma cobertura preta, de acordo com as atuais tendências.

Na parte ciclística, mais melhorias. O quadro de dupla trave superior feito em alumínio ficou mais leve e mais resistente a torções. Na dianteira, o garfo invertido também é novo. Assim como o monoamortecedor na balança traseira, que ganhou novo desenho para melhorar a tração da Hayabusa 2008 mais potente.

Os freios dianteiros trazem modernas pinças, fixadas radialmente, que mordem dois discos de 310 mm – menores, porém mais eficientes do que na versão anterior, garante a Suzuki. Na traseira o disco de freio ficou maior – 260 mm de diâmetro com pinça de um pistão. As rodas também foram redesenhadas e são calçadas com pneus Bridgestone BT-015 de alto desempenho. Tudo para “suportar” mais potência do novo motor e garantir a dirigibilidade, um dos pontos altos do modelo.

Outra qualidade mantida foi o conforto da garupa. Para isso, o assento foi rebaixado juntamente com o sub-quadro traseiro. Mantendo assim o caráter “sport-touring” dessa superesportiva.

O piloto, além de poder se esconder melhor sob a bolha, conta com um novo painel de instrumentos. Com quatro mostradores analógicos, traz velocímetro, tacômetro, marcador de combustível e de temperatura. Conta ainda com indicador de marcha engatada e a indicação do S-DMS modo de mapeamento do motor escolhido.

Ao que tudo indica a nova Hayabusa deve reassumir o posto de moto mais rápida do mundo e acirrar a guerra entre as marcas japonesas, principalmente com a Kawasaki e sua ZX-R 14. As previsões falam em velocidade máxima de 320 km/h, ou seja, a moto de série mais rápida do mundo.

Gosta de motos esportivas?

Então veja aqui no WebMotors a enorme ofertas de modelos para este segmento:

Ducati 916

Kawasaki Ninja ZX-12R

Kawasaki ZX-11R Ninja

Kawasaki Ninja ZX-10R

Honda CBR 1100 XX Super BlackBird

Suzuki GSX1300R Hayabusa

Suzuki GSX-R1000

Suzuki GSX R 1100 W

Yamaha YZF R1

Leia também:

Aprilia Dorsoduro

Yamaha V-Max

Bimota BD6R Delírio, exclusiva e artesanal

Bimota desembarca no Brasil com quatro modelos

BMW R 1200 GS, uma alemã revigorada, chega ao Brasil

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors