O extraordinário KAZ japonês

  1. Home
  2. Pit-Stop
  3. O extraordinário KAZ japonês
Karina Autopress
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

- Do país mais “apertado” de espaço do mundo vem esse projeto de uma limusine com 6,70 m de comprimento, oito rodas tracionantes e seis esterçantes. As oito rodas de tração têm dentro de cada uma delas um motor elétrico síncrono de seis fases e 73 cv, utilizando magnetos de terras raras neodímio-ferro, engrenagem de redução de 4,5:1, rolamentos em munhão curto e um freio a disco eletricamente comandado, para uma potência total de 584 hp. A limusine pesa mais de 2.700 kg, mas a alta potência e a abundância de tração a levam a 290 km/h.

O primeiro, segundo e quarto eixos são esterçantes, enquanto o terceiro eixo tem rodas fixas, para prender o carro ao chão. O esterçamento dos três eixos é feito por servos elétricos individuais, e as rodas são suspensas em tandem, duas a duas, através de um sistema hidráulico. As baterias e todos os componentes elétricos estão colocados dentro de uma “caixa” estrutural formada pelos dois painéis de piso, deixando o centro de gravidade baixo, para maior estabilidade em curvas.

O “pacote” de baterias tem dois conjuntos de 84 células de íons de lítio de 3,75 volts cada uma, para um total de 630 volts. Os circuitos em paralelo alimentam um inversor de pulso modulado, que entrega 140 volts AC aos motores síncronos. A entrega é estabilizada para garantir uma descarga progressiva das baterias, e os motores têm torque praticamente constante a todas as velocidades de operação. A autonomia máxima é de 280 km, mas um sistema eletrônico está sendo desenvolvido para aumentá-la para 580 km.

Projetado na Universidade Keio, de Kanagawa, e com o primeiro protótipo feito pelo Instituto IDEA de Turim, a limusine KAZ tem lugar para oito pessoas e é dirigida a chefes de estado, presidentes de grandes empresas e outras personalidades do tipo. O segundo painel de piso, interno lembranças do antigo Tatra e do Classe A, é totalmente plano e o interior, extremamente espaçoso.

O mais interessante do projeto todo é sua possibilidade de ser aplicado em veículos mais comuns. O “pacote” de roda levou 15 anos para ser desenvolvido, com o motor de seis fases, muito incomum, sendo escolhido por ser bem mais compacto do que o motor de tecnologia de três fases.

Quanto ao KAZ, que deu origem ao carro ao lado, chamado Eliica, pouca coisa menor e muita mais rápido, deverá ser conduzido preferencialmente por ex-pilotos de Fórmula 1.

Leia outras colunas de José Luiz Vieira aqui
________________________________

Quer receber nossa newsletter e boletins de manutenção de seu carro? Então se cadastre na Agenda do Carro clicando aqui e receba boletins quinzenais com as notícias mais quentes!
________________________________

E-mail: Comente esta coluna

Envie essa coluna para uma amigoa
________________________________
José Luiz Vieira é engenheiro automobilístico e jornalista, diretor de redação da revista Carga & Transporte e do site TechTalk www.techtalk.com.br, sócio-proprietário da empresa JLV Consultoria e um dos mais respeitados jornalistas especializados em automóveis do Brasil. Trabalhou como piloto de testes em várias fábricas e foi diretor de redação da revista Motor3. E-mail: joseluiz@jlvconsultoria.com.br

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors