Conheça 5 acidentes envolvendo carros autônomos

Morte de mulher atropelada por Uber que roda sozinho não é único incidente do tipo. Tecnologia é alvo de desconfiança
  1. Home
  2. Tecnologia
  3. Conheça 5 acidentes envolvendo carros autônomos
Redação WM1
Compartilhar
    • whats icon
    • bookmark icon

A morte de uma mulher,  atropelada nesta segunda (19) nos EUA por um Volvo XC90 autônomo da Uber, é o primeiro acidente fatal conhecido envolvendo pedestres e carros capazes de rodar sozinhos. No entanto, não é o primeiro do tipo com morte (saiba mais abaixo) e esquentou os debates sobre regulamentação de testes com veículos autônomos nos Estados Unidos e também em outros mercados. A Uber, inclusive, suspendeu temporariamente a circulação da sua frota de carros adaptados no país, repetindo o que fez no ano passado, quando outro Volvo da empresa de transporte por aplicativo se envolveu em uma batida, na mesma cidade, e chegou a tombar.

Especialistas e entusiastas defendem que os autônomos são mais seguros que motoristas de verdade e, considerando os acidentes já registrados com veículos robotizados, sua grande maioria foi mesmo causada por condutores de carne e osso. Porém, é fato que ainda há muita desconfiança e até medo a respeito da confiabilidade da nova tecnologia.

Uma pesquisa do instituto State Farm Research, nos EUA, aponta que 60% das pessoas entrevistadas relataram preocupação com possíveis falhas dos sistemas computadorizados dos autônomos. Outro estudo, este do IIHS, órgão independente de segurança viária daquele país, constatou que recursos como assistente de manutenção de faixa, que lê as demarcações no chão para manter sozinho o veículo na trajetória, pode falhar em colinas e pistas muito sinuosas.

Fato é que os carros autônomos são uma novidade e ainda podem reagir de forma inadequada frente a situações diferentes, dada a complexidade do trânsito de veículos e pedestres. Selecionamos cinco outros acidentes com veículos capazes de rodar por conta própria para ilustrar essa realidade.

Tesla bate em caminhão e motorista morre

Antes do atropelamento fatal com o Volvo da Uber, o primeiro acidente com morte envolvendo um veículo autônomo aconteceu em maio de 2016, em uma rodovia da Flórida, também nos EUA. O "motorista" de um Tesla Model S bateu em um caminhão-reboque enquanto o Autopilot, o modo semiautônomo do sedã elétrico, estava ativado - os sensores não identificaram o caminhão, que fez uma curva à esquerda. As investigações apontaram que o condutor não estava com as mãos no volante e até assistia a um DVD no momento da batida.

Na época, a Tesla se defendeu dizendo que recomendava aos motoristas sempre manterem as mãos próximas ao volante para reassumirem a condução a qualquer momento, em caso de necessidade, destacando que o Autopilot está em fase experimental. A empresa não foi responsabilizada pelo NHTSA, o departamento fcaptional de transportes dos EUA, mas o NTSB (Conselho Nacional de Segurança do Transporte dos Estados Unidos) avaliou que o equipamento da Tesla permite seu uso "fora dos limites", "dando liberdade demais ao motorista".

Lexus do Google é atingido ao frear no sinal

Em 2015, um Lexus adaptado do Google sofreu uma batida traseira no modo autônomo na cidade de Mountain View, na Califórnia. O sinal estava verde para o Lexus, porém, como o trânsito parou logo à frente, o veículo freou de forma automática para não travar o cruzamento. Foi então que outro carro colidiu contra o Lexus, cujos integrantes sofreram ferimentos leves, relatando dores nas costas e no pescoço.

Batida em ônibus após desviar de sacos de areia

Menos de um ano depois, um carro da Waymo, divisão criada pelo Google para desenvolver tecnlogia autônoma, bateu em Mountain View quando desviava de sacos de areia colocados sobre a via, por conta de obras. Ao fazer a manobra,  no modo autônomo, o veículo abalroou um ônibus com cerca de 15 pessoas a bordo, que não chegaram a se ferir.

Ônibus sem motorista paga mico na estreia

Em novembro do ano passado, em Las Vegas, também nos Estados Unidos, um microônibus autônomo da fabricante francesa Navya bateu em um caminhão apenas duas horas depois de começar a rodar em testes na cidade, com passageiros a bordo. A polícia concluiu que a responsabilidade na batida, que não deixou feridos, foi do motorista do caminhão, que na colisão chegou a rachar o para-brisa do ônibus. O condutor de carne e osso acabou levando uma multa, mas não livrou o veículo autônomo de "pagar mico".

SUV faz conversão sem sinalizar e acerta Uber autônomo

Em março de 2017, outro Volvo XC90 da Uber modificado para testes de condução autônoma tombou de lado após se envolver em acidente com um Ford Edge, igualmente na cidade de Tempe. Na ocasião, autoridades locais chegaram à conclusão que o motorista do Ford foi o culpado pela batida por não dar preferência ao Uber ao fazer uma conversão à esquerda. A bordo do Volvo estavam dois engenheiros nos bancos da frente, um deles pronto para assumir o volante, mas novamente não houve tempo para evitar a batida. Na época, a empresa de transporte por aplicativo também suspendeu temporariamente os testes nos EUA até a conclusão das investigações.

Comentários

Ofertas Relacionadas

logo Webmotors